Manuela Moura Guedes é a "Procuradora" em novo vídeo da SIC

É já no próximo dia 8 que Manuela Moura Guedes regressa à televisão. Na SIC, o espaço de comentário da jornalista vai chamar-se a "Procuradora"

"Procura além da notícia rápida e seca, procura o que se esconde nas meias verdades, procura as contradições, as promessas vazias, procura a resposta que, afinal, ninguém deu, procura também os gestos bondosos que passam despercebidos, procura as ideias simples que fazem a diferença, procura momentos que fazem simplesmente sorrir". É desta forma que é apresentada a jornalista Manuela Moura Moura Guedes, a "Procuradora" que todas as segundas-feiras vai estar no "Jornal da Noite", da SIC, já a partir do próximo dia 8.

A jornalista, que em 2010, saiu da TVI depois da administração da estação de Queluz de Baixo suspender o "Jornal Nacional" de sexta-feira, regressa à televisão com um espaço de comentário na SIC. Na noite desta quinta-feira, a estação de Carnaxide partilhou nas redes sociais um vídeo, em forma de "teaser", revelando o nome do espaço de comentário da jornalista.

Aliás, foi também pela rede social Instagram, nas contas dos jornalistas Clara de Sousa e Rodrigo Guedes de Carvalho, que a SIC deu a conhecer a contratação de Manuela Moura Guedes. O anncio da ida de Manuela Moura Guedes para a SIC surge depois da transferência de Miguel Sousa Tavares para a TVI

O anúncio da ida de Manuela Moura Guedes para a SIC surge depois de se saber que o jornalista Miguel Sousa Tavares deixa o canal do Grupo Impresa para regressar à antena da TVI e após a notícia da transferência do ano no mercado televisivo, a 22 de agosto: a contratação de Cristina Ferreira passa a ser a grande aposta da estação de Carnaxide e sai de Queluz de Baixo, onde fazia dupla com Manuel Luís Goucha no programa das manhãs.

Exclusivos

Premium

Contramão na autoestrada

Concessionárias querem mais formação para condutores idosos

Os episódios de condução em sentido contrário nas autoestradas são uma realidade recorrente e preocupante. A maioria envolve pessoas idosas. O tema é sensível. Soluções mais radicais, como uma idade para deixar de conduzir, avaliação médica em centros específicos, não são consensuais. As concessionárias das autoestradas defendem "mais formação" para os condutores acima dos 70 anos.