A transferência do ano: Cristina Ferreira muda-se para a SIC

TVI confirma a saída da apresentadora, que vai passar a fazer concorrência a Manuel Luís Goucha nas manhãs.

É a notícia do ano no mercado televisivo. Cristina Ferreira vai mudar-se da TVI para a SIC, passando a ser o grande rosto do entretenimento na estação de Carnaxide a partir de setembro.

A apresentadora, que desde 2004 faz dupla com Manuel Luís Goucha nas manhãs da TVI, vai passar a ser concorrente direta do seu agora antigo parceiro, devendo assumir a apresentação das manhãs da SIC.

A saída de Cristina Ferreira da TVI foi confirmada ao DN por uma fonte oficial da estação, que assumiu "a não renovação do contrato" que liga a apresentadora ao canal de Queluz até ao "fim de novembro". "Estamos em negociações com a Cristina sobre os termos de finalização do contrato", acrescentou a mesma fonte, resumindo as razões para esta separação: "Temos projetos empresariais diferentes que nos fazem pôr um ponto final nesta ligação de 16 anos."

O jornal Expresso adianta que Cristina Ferreira vai acumular as funções de apresentadora com o cargo de consultora executiva da direção-geral de entretenimento do canal, que é atualmente liderada por Daniel Oliveira. De resto, a popular apresentadora é a primeira grande contratação da SIC desde que Daniel Oliveira assumiu essa direção, em junho passado.

Aos 40 anos, Cristina Ferreira, que se estreou em televisão nos programas diários do reality show Big Brother, assume assim uma nova etapa numa carreira que transbordou já os limites do pequeno ecrã. Uma loja, uma linha de sapatos, um perfume e a revista Cristina são outros projetos que fazem parte da marca em que se transformou o nome de Cristina Ferreira.

O DN tentou contactar a SIC e a própria apresentadora, mas não foi possível até ao momento.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

"Corta!", dizem os Diáconos Remédios da vida

É muito irónico Plácido Domingo já não cantar a 6 de setembro na Ópera de São Francisco. Nove mulheres, todas adultas, todas livres, acusaram-no agora de assédios antigos, quando já elas eram todas maiores e livres. Não houve nenhuma acusação, nem judicial nem policial, só uma afirmação em tom de denúncia. O tenor lançou-lhes o seu maior charme, a voz, acrescida de ter acontecido quando ele era mais magro e ter menos cãs na barba - só isso, e que já é muito (e digo de longe, ouvido e visto da plateia) -, lançou, foi aceite por umas senhoras, recusado por outras, mas agora com todas a revelar ter havido em cada caso uma pressão por parte dele. O âmago do assunto é no fundo uma das constantes, a maior delas, daquilo que as óperas falam: o amor (em todas as suas vertentes).

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?