Governo e Altice assinam protocolo para promover desporto escolar

Memorando assinado entre Ministério da Educação e operadora de comunicações

A Altice assinou, esta quinta-feira, um memorando de entendimento com a Direção Geral da Edicação e o Desporto Escolar, com vista a promover a prática do exercício físico e o acesso a atividades de qualidade.

O documento, segundo comunicado da Altice, prevê ainda o desenvolvimento "ao nível da tecnologia, da inovação e das plataformas digitais, agora aplicadas ao Desporto Escolar".

"O Desporto Escolar, que surge com o objetivo de contribuir para a promoção do sucesso escolar dos alunos, de estilos de vida saudáveis e de valores e princípios associados a uma cidadania ativa, tem cerca de 40 modalidades orientadas por mais de 6 mil professores das 5 regiões educativas do país", lê-se no comunicado.

Serão assim abrangidos por este protocolo, celebrado através da Fundação PT, "mais de 7 mil equipas, em todo o território nacional, em mais de 1200 escolas do 2º e 3º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário".

"A prática regular de atividade física contribui para estilos de vida mais saudáveis e também para a melhoria do sucesso educativo dos nossos alunos. Ao apoiar o Desporto Escolar, a Fundação PT está a contribuir para uma nova geração de portugueses com melhor qualidade de vida e mais preparados para os desafios do futuro", afirmou o diretor-geral da Educação, José Vítor Pedroso.

Na mesma linha, o presidente executivo da Altice, Alexandre Fonseca, afirmou: "O projeto do Desporto Escolar é muito mais do que prática desportiva, é um caminho para uma melhor sociedade, mais justa, mais preparada, para melhores mentes."

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.