Governo coloca travões ao Fundo de Resolução e facilita entrada da Fosun no BCP

Governo altera condições do empréstimo do Estado para evitar contribuições extra pagas pela banca. Fosun também agradece

O governo alterou as condições do empréstimo de 3,9 mil milhões de euros do Estado ao Fundo de Resolução para financiar o colapso do Banco Espírito Santo, procurando assim "reduzir a incerteza face às responsabilidades anuais dos bancos no futuro" com estes reembolsos. Ao promover estas alterações, quer dar previsibilidade aos custos dos bancos e, pelo caminho, facilitou a entrada da chinesa Fosun no capital do BCP.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG