Galp lança plataforma de inovação colaborativa para apoiar neutralidade carbónica

Upcoming Energies é o nome da plataforma, anunciada esta terça-feira, em plena Web Summit, que representa um investimento total de 180 milhões de euros.

A Galp anunciou esta terça-feira, durante a Web Summit, a criação da Upcoming Energies, uma plataforma que permitirá criar iniciativas colaborativas com startups, universidades e outros parceiros tecnológicos a fim de explorar a transição energética, que culminará na neutralidade carbónica. A plataforma, desenvolvida pela equipa de inovação da petrolífera, representa um investimento total de 180 milhões de euros até 2025.

A plataforma, direcionada tanto para o ecossistema português como para o brasileiro, tem como objetivo acelerar a transição energética, criando "um ecossistema fiável e eficiente onde clientes, start-ups, fornecedores, universidades, parceiros de I&D+I e investidores [investigação, desenvolvimento e inovação]".

"A Galp tem objetivos ambiciosos para impulsionar a transição energética, queremos acelerar e construir o futuro com uma abordagem colaborativa sistemática e sistémica, uma abordagem que reúne tecnologia de ponta e talento para nos ajudar a alcançar estas metas ambiciosas", afirmou Andy Brown, CEO da Galp, num evento à margem da Web Summit, no Myriad by Sana Hotels, no Parque das Nações.

O gestor britânico, à frente da Galp desde janeiro deste ano, considera "crucial" que o sistema energético mude "em tempo útil". E essa alteração só será possível através da"inovação e digitalização", bem como através de um "trabalho com toda a sociedade para alterar hábitos de consumo". "Caso contrários, os preços elevados na energia que hoje temos vão continuar"..

"Novas soluções são necessárias", disse, referindo que a Galp vai mudar, "apesar de essa poder não ser a imagem" que se perceciona da empresa.

Daí o "o enorme compromisso", daí aUpcoming Energies, desenvolvida pela equipa de inovação da Galp, que é liderada por Ana Casaca (diretora de Inovação da Galp). Trata-se em parte da "regeneração" da Galp.

A Upcoming Energies será construída sob múltiplas iniciativas durante 2022, incluindo parcerias, programas educacionais, programas de aceleração e investimento em start-ups emergentes que desenvolvam novas soluções digitais e de transformação energética.

Através da Upcoming Energies, startups, scale-ups, empresas, universidades, investidores e outros parceiros podem partilhar sua visão e as suas soluções e receber apoio da petrolífera portuguesa, liderada por Andy Brown.

A nova plataforma abrirá as portas à rede da Galp em 10 países.

Até 2030, a Galp tem como objetivos reduzir as emissões absolutas das operações em 40%, o Índice de Intensidade de Carbono (baseado na produção) em 40% e o Índice de Intensidade de Carbono (baseado nas vendas) em 20%

José Varela Rodrigues é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG