FMI: recuperação está "no bom caminho", mas há riscos de reversão

Christine Lagarde avisou contra a "complacência" que pode deitar tudo a perder

A diretora executiva do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, disse este sábado, no final da cimeira do G20, que a recuperação económica está "no bom caminho", mas advertiu contra a "complacência" e os riscos de reversão.

"Nas minhas conversas com os líderes, destaquei-lhes que a recuperação económica global está no bom caminho, em traços gerais, e espera-se que continue no próximo ano. Ao mesmo tempo, há necessidade de nos protegermos contra a complacência e os riscos, incluindo a vulnerabilidade financeira, a baixa produtividade e o aumento da desigualdade", afirmou Lagarde, que falava no final da reunião de líderes das 20 maiores economias mundiais, que decorreu em Hamburgo, Alemanha.

Na opinião da responsável do FMI, parte ativa nas reuniões do G20, os membros das principais economias avançadas e emergentes devem aproveitar este contexto positivo para reforçar o setor financeiro, melhorar os salários e reforçar os progressos nas balanças fiscais".

Lagarde destacou a importância do Plano de Ação de Hamburgo, alcançado nesta cimeira, especialmente no que diz respeito à redução de barreiras comerciais, promoção da competência, mais investimento em infraestruturas, inclusão financeira e reforma laboral, incluindo fazer frente ao aumento da robotização.

A diretora do FMI felicitou a chanceler alemã, Angela Merkel, pela sua liderança durante a cimeira e por alcançar um acordo que reafirma o compromisso de todos os membros, à exceção dos Estados Unidos, com os objetivos do Acordo de Paris contra as mudanças climáticas.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, decidiu retirar os EUA deste pacto e na cimeira do G20 manteve-se à margem de compromissos coletivos sobre a luta contra as alterações climáticas.