Défice está em 5179 milhões de euros até setembro

Evolução do último mês reduz o saldo negativo das contas públicas em 968 milhões de euros.

O défice das contas públicas atinge nos nove primeiros meses do ano 5 179 milhões de euros, com o último mês a atenuar os efeitos da pandemia no equilíbrio de receitas e despesas. Até agosto, o défice seguia em 6 147 milhões de euros, mais 958 milhões do que os contabilizados no défice resultante da execução orçamental até setembro.

"A execução orçamental em contabilidade pública das Administrações Públicas registou até setembro um défice de 5 179 milhões de euros, um agravamento resultante da pandemia de 7 767 milhões de euros face ao período homólogo", refere o Ministério das Finanças em nota, nesta terça-feira, dia em que é publicada a execução orçamental até setembro pela Direção Geral do Orçamento.

A execução do último mês refletirá já os meses de desconfinamento, em particular o mês de setembro, com regresso às escolas e a muitos locais de trabalho. Ainda assim, o comunicado do Ministério das Finanças dá ainda conta de um aprofundamento na quebra de receitas públicas, para menos 6,9% que há um ano (a redução foi de 6,6% até agosto). Já a despesa acumulada cresce até setembro 5,2% (subia 4,9% um mês antes).

O ministério de João Leão continua a assinalar a "redução acentuada da receita fiscal e contributiva" e as "medidas extraordinárias de apoio às famílias e empresas", que "justificam uma degradação adicional do saldo até setembro de, pelo menos, 3 005 milhões de euros".

Leia o artigo completo em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG