Da crise da dívida à rota da seda. Portugal na mira do investimento chinês

China apostou em Portugal durante o resgate. Pequim está a consolidar posições e a iniciativa "uma faixa, uma rota" pode trazer mais investimentos

Pouco mais de meio ano depois de Portugal ter sido forçado a pedir um resgate financeiro, e numa fase em que muitos investidores internacionais fugiam, Pequim dava um sinal de que iria fazer uma aposta forte no país. Desembolsou 2,7 mil milhões de euros para ficar com 21% da EDP, participação que o Estado se comprometeu a vender perante a Troika. A estatal China Three Gorges pagou um prémio de mais de 50% para garantir que não falharia esse negócio.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG