Comércio de moda e vestuário. Reclamações dispararam 197% em 2020

No ano passado, as reclamações feitas nesta categoria registaram a maior subida do ano. Já em 2021 os portugueses apresentaram 2 197 reclamações ligadas a compras de moda e vestuário, uma subida de 146% em termos homólogos.

No ano passado, a área de comércio de moda e vestuário registou a maior subida no número de reclamações, revela a análise do Portal da Queixa. Comparando com 2019, esta área viu as reclamações totalizar 9 442, mais 197% face ao ano anterior.

Na grande maioria dos casos, as reclamações estiveram ligadas a questões com o comércio eletrónico. Este ano, com um novo confinamento e lojas deste setor fechadas, a análise do Portal da Queixa mostra uma nova subida nas reclamações. Segundo os dados, até dia 16 de fevereiro já tinham sido contabilizadas 2 197 reclamações, um aumento de 146% em termos homólogos. No início de 2020, tinham sido registadas 895 reclamações, especifica o portal.

Os principais motivos de queixa dos consumidores estão ligados a atrasos nas entregas. No ano passado, os atrasos representaram quase 43% do total das reclamações apresentadas. Em segundo lugar conta-se a falta de apoio ou resposta ao consumidor, que motivou 19,3% das reclamações feitas, seguida por pedidos de reembolso (16% das queixas).

Cátia Rocha é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG