Bruxelas rejeita auditoria à CGD, mas admite "avaliação aprofundada"

Possível auditoria do BCE e da Comissão Europeia poderá adiar comissão de inquérito pedida pelo PSD

A Comissão Europeia negou hoje qualquer envolvimento numa eventual auditoria à Caixa Geral de Depósitos (CGD), salientando que apenas avalia planos financeiros no âmbito de ajudas estatais.

"A Comissão não é um auditor nem realiza auditorias", disse o porta-voz do executivo comunitário para a Concorrência, Ricardo Cardoso, quando questionado sobre a notícia hoje divulgada pela TSF sobre uma eventual intenção de Bruxelas e do Banco Central Europeu de realizarem uma auditoria à CGD antes de haver uma decisão sobre a recapitalização do banco público.

Segundo a TSF, o Banco Central Europeu e a Comissão Europeia estarão a colocar a hipótese de fazer uma auditoria à Caixa Geral de Depósitos (CGD) antes de chegarem a uma decisão final sobre o pedido de recapitalização do banco

A auditoria estará a ser negociada com o presidente da CGD, António Domingues, e merece a aprovação do governo português.

Com uma auditoria internacional, qualquer decisão sobre a recapitalização da CGD seria adiada para depois do verão, o que para a esquerda parece ser positivo, segundo a TSF. Para a maioria parlamentar, o adiamento vai permitir fechar a nova administração e negociar com Bruxelas o reforço de capital de que a Caixa precisa para cumprir as exigências do BCE.

O porta-voz do executivo comunitário para a Concorrência diz que "o que podemos fazer em casos de auxílios estatais é uma avaliação aprofundada de um plano financeiro apresentado por um Estado-membro ou, por exemplo, pedir mais informações ao Estado-membro. Mas a Comissão nunca realiza por si uma auditoria financeira ou forense"

Questionado sobre se tencionam pedir mais informação a Lisboa sobre a CGD, o porta-voz adiantou que a Comissão Europeia "está em contacto com as autoridades portuguesas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG