A ameaça de Schäuble: Se não há solução a 27 tem de se começar com poucos

Schäuble admite contornar Comissão e não envolver todos os países da UE para a Europa resolver os seus problemas

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, disse hoje que, se a Comissão Europeia não resolver rapidamente os principais problemas, devem ser tomadas decisões intergovernamentais, mesmo que nessas decisões não sejam envolvidos todos os Estados membros da União Europeia.

"Se a Comissão não faz nada, temos nós de agir e resolver os problemas entre os governos. Se não for possível juntas todos os 27 tem de se começar com poucos", disse o ministro, em declarações publicadas hoje pelo semanário alemão "Welt am Sonntag".

Wolfgang Schäuble rejeitou a ideia de reagir ao "Brexit" retirando poderes a Bruxelas e devolvê-los aos Estados membros: "Isso não resolve os nossos problemas. Agora não podemos lidar com as mudanças complicadas nos tratados que exigem a unanimidade", disse ele.

A UE, de acordo com o ministro, tem que mostrar agora que pode resolver rapidamente alguns problemas-chave, pois "só então vai convencer as pessoas e a confiança vai-se recuperar".

Como problemas centrais, Schäuble enumerou a crise dos refugiados ou a luta contra o desemprego dos jovens em países em crise.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.