14 mil candidaturas a fundos comunitários à espera de resposta

A equipa gestora do Programa de Desenvolvimento Rural 2010 foi afastada pelo Governo devido à baixa taxa de execução.

Há 14 mil candidaturas ao Programa de Desenvolvimento Rural 2020 à espera de serem analisadas, o que levou ao afastamento da equipa de três gestoras que, desde o ano passado, geria os fundos comunitários, avança hoje o Público.

O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, quer acelerar a análise e aprovação dos projetos e, perante a baixa taxa de execução dos apoios financeiros dos últimos dois anos, decidiu exonerar, na terça-feira, as responsáveis: Patrícia Cotrim, gestora do PDR 2020, Alexandra Lopes e Maria Amélia Aragão, gestoras adjuntas.

O ministério da Agricultura explicou ao Público que se pretende "dar uma nova orientação política ao PDR 2020" e "imprimir uma nova dinâmica, nomeadamente no que diz respeito à contratação e execução das medidas de apoio à agricultura".

Segundo informação do ministério citada pelo jornal, a taxa de execução do programa comunitário foi de 0% em 2014 e de 12% em 2015. O governo quer chegar aos 100% este ano, quando estão em causa 600 milhões de euros, escreve o Público.

Com 14 mil candidaturas à espera, foram aprovadas desde 20 de janeiro 434 projetos (a maioria para investimentos nas explorações agrícolas e na transformação e comercialização de produtos), diz a mesma fonte, o que corresponde a um volume de investimento de 166 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG