Yulimar Rojas bate recorde mundial do triplo salto

Venezuelana saltou 15.43 metros durante etapa do Circuito Mundial indoor de atletismo, em Madrid. Bateu marca de Lebedeva (2004). Marca é a segunda melhor da história, incluindo pista ao ar livre

A venezuelana Yulimar Rojas, bicampeã mundial do triplo salto e medalhada Olímpica, quebrou o recorde mundial indoor da modalidade, esta sexta, durante a última etapa do Circuito Mundial indoor de Atletismo, em Madrid (Espanha). Foi na última tentativa que a atleta saltou 15,43 metros e superou o recorde da russa Tatyana Lebedeva, de 2004. É ainda a segunda melhor marca de todos os tempos, em pistas coberta e ar livre, depois 15,50 metros de Inessa Kravets em 1995.

Um salto não válido na quinta tentativa atraiu a atenção do público presente no Poliesportivo Gallur para a última oportunidade da venezuelana. E a pupila de Ivan Pedroso, que, tal como Nelson Évora, treina em Guadalajara, não desiludiu. Superou em dois centímetros o seu recorde pessoal e em centímetros o recorde do Mundo.

Na mesma prova, Patrícia Mamona foi terceira, com 14.28 metros, e Susana Costa sexta, com 13.85 metros.

Começou no vólei e experimentou o peso e a altura

Nascida em Caracas no seio de uma família pobre, Yulimar Rojas mudou-se ainda pequena para Anzoátegui, no litoral norte da Venezuela. Como era muito alta e atlética (mede 1,92m), aos 14 anos começou a praticar vólei (modalidade com tradição no país). Sonhava integrar a seleção venezuelana, mas o destino trocou-lhe as voltas.

Durante um campeonato nacional escolar um treinador de atletismo "ficou impressionado" com ela chamou-a para uns testes: "Aceitei e assim comecei no no atletismo."

O início não foi fácil no atletismo. Com poucos recursos para se manter na modalidade - família morava numa casa de zinco -, ela começou no lançamento do peso, mas não teve muito sucesso. Pouco depois, a venezuelana decidiu experimentar o salto em altura, onde os resultados começaram a aparecer. Em pouco tempo, já era recordista nacional. Em 2011, Yuilimar disputou o Sul-Americano Sub-20, mas ainda não estava satisfeita, apesar de ter marcas interessantes e em 2014 mudou-se para o triplo salto. "Eu já era atraída pelo triplo salto, mas faltava coragem para mudar. Foi uma das coisas mais certas que fiz na vida, porque ali eu vi o meu verdadeiro potencial", contou, recentemente.

No triplo salto a ascensão foi meteórica e o Mundo abriu a boca de espanto quando ela saltou para a prata nos Jogos Olímpicos do Rio2016. Tinha apenas um ano de treino. Em 2017 a venezuelana conquistou o inédito título mundial em Londres ao saltar 14,91m. Mas Yulimar Rojas queria mais e começou a preparar-se com Ivan Pedroso, em Espanha, chegando a saltar 15,41m no ano passado, no Memorial Francisco Ramón Higueras, em Andújar.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG