Tribunal da Relação mantém juiz benfiquista a decidir caso dos emails

O presidente do Tribunal da Relação do Porto decidiu que não há motivos para afastar Eduardo Pires do processo cível da divulgação que opõe o Benfica e o FC Porto.

O juiz desembargador Eduardo Pires irá continuar a ser o relator o processo cível da divulgação de emails do Benfica. O magistrado tinha pedido escusa mas, segundo avança o Jornal de Notícias, o presidente do Tribunal da Relação do Porto decidiu manter o juiz Eduardo Rodrigues Pires como relator dos recursos da ação cível que opõe o Benfica ao FC Porto, no caso da divulgação dos emails dos encarnados.

Nuno Ataíde das Neves entende, de acordo com o JN, que apesar de o magistrado ser adepto e sócio do Benfica há dezenas de anos, além de ser acionista do clube da Luz, isso em nada interfere com a isenção e imparcialidade enquanto juiz.

Eduardo Pires pediu escusa do processo para o qual foi sorteado por ser sócio do Benfica desde 1968, tendo recebido a Águia de Ouro no ano passado, por ter lugar cativo no estádio e ainda por ter recebido o convite para visitar o Benfica Campus, o que acabou por declinar.

Irá assim apreciar o recurso apresentado pela SAD do FC Porto e do seu diretor de comunicação pela divulgação dos e-mails dos encarnados no Porto Canal, processo no qual o Tribunal da Comarca do Porto condenou ao pagamento de uma indemnização de cerca de dois milhões de euros ao Benfica.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG