Bruno de Carvalho já regressou ao Tribunal do Barreiro

Antigo dirigente dos leões está detido desde domingo nas instalações da GNR de Alcochete.

O ex-presidente do Sporting Bruno de Carvalho chegou esta quarta-feira ao Tribunal do Barreiro, em Almada, onde será retomado o seu interrogatório no âmbito da investigação sobre a invasão à academia de Alcochete, disse à Lusa fonte policial.

O ex-presidente do Sporting, que está detido desde domingo nas instalações da GNR de Alcochete, distrito de Setúbal, e um dos líderes da claque Juventude Leonina, Nuno Mendes, conhecido por Mustafá, chegaram hoje perto das 09:30 ao Juízo de Instrução Criminal do Barreiro, para o reinício do interrogatório, interrompido na terça-feira.

A interrupção deveu-se à greve dos funcionários judiciais, que impossibilitou que os advogados dos arguidos consultassem os documentos do processo, que já tem 38 outras pessoas constituídas arguidas, todas detidas preventivamente.

Após a consulta dos elementos de prova, Bruno de Carvalho e Mustafá, detidos no domingo com base em mandados emitidos pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, serão confrontados com os factos que lhes são imputados e só depois deverão informar o juiz Carlos Delca se pretendem ou não prestar declarações.

Em 15 de maio, a equipa de futebol do Sporting foi atacada na academia do clube, em Alcochete, por um grupo de cerca de 40 alegados adeptos encapuzados, que agrediram alguns jogadores, membros da equipa técnica e outros funcionários.

A GNR deteve no próprio dia 23 pessoas e efetuou, posteriormente, mais detenções, que elevaram para 38 o número de detidos, todos ainda em prisão preventiva, entre os quais está o antigo líder da Juventude Leonina Fernando Mendes.

Os arguidos são suspeitos da prática de diversos crimes, designadamente, terrorismo, ofensa à integridade física qualificada, ameaça agravada, sequestro e dano com violência.

O ataque motivou o pedido de rescisão unilateral de nove futebolistas, alegando justa causa - alguns dos quais recuaram na decisão e continuam a representar os 'leões' -, e lançou o clube lisboeta em uma das maiores crises institucionais da sua história.

Bruno de Carvalho, que à data dos acontecimentos liderava o clube de Alvalade, foi destituído em Assembleia Geral em 23 de junho e impedido de concorrer às eleições do Sporting, das quais Frederico Varandas saiu como novo presidente.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG