Santos reage ao caso Bernardo Silva: "Um absurdo completo"

Selecionador saiu em defesa do jogador português, acusado de racismo pela federação inglesa devido a um tweet sobre Mendy. "É dos jovens que conheço com mais caráter humano e social".

Fernando Santos, selecionador nacional, reagiu nesta quinta-feira ao caso Bernardo Silva, jogador do Manchester City que esta semana foi acusado pela federação inglesa de conduta imprópria, na sequência de um tweet com a imagem em criança de Benjamin Mendy, seu colega de equipa e amigo desde do Mónaco, acompanhado da ilustração do boneco característico da marca de chocolates Conguitos, com a pergunta 'adivinhem quem é?'

"Tinha que fazer uma análise profunda e não é o momento indicado, seria uma conversa longa. Só tenho duas palavras: é um absurdo completo. O Bernardo Silva é dos jovens que conheço com mais caráter humano e social. O que está a acontecer não muito sentido. É um absurdo e ele não merece isto", referiu

A Federação inglesa, que deu até 9 de outubro para Bernardo Silva responder, alega que este comentário constitui uma violação agravada dos seus códigos de conduta, por "incluir referência, expressa ou implícita, à raça e/ou cor e/ou origem étnica". Em caso de discriminação, o regulamento da FA prevê castigos até seis jogos de suspensão, podendo o Comité Disciplinar diminui-lo ou aumentá-lo.

A situação criou polémica, com a Associação de Combate ao Racismo Kick Out a pedir para que a FA tomasse medidas e Bernardo Silva apagou quase de imediato o tweet, lamentando que não seja possível "brincar com um amigo".

Na carta, enviada na quinta-feira à federação inglesa, Bernardo Silva juntou um depoimento de Mendy, em que o companheiro de equipa no Manchester City diz não ter ficado ofendido. A FA já tinha também escrito ao Manchester City, solicitando informações ao clube.

O treinador dos citizens, o espanhol Pep Guardiola, defendeu o internacional português, referindo que se tratou de "uma simples piada" entre Bernardo e Mendy, que são grandes amigos, acrescentando ser completamente errado pensar que o tweet tinha conotação racista.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG