Rui Vitória faz revelação sobre Fejsa e lamenta ausência de Vieira

Treinador falou de ausências importantes, sem mencionar Jonas, e explicou por que razão Gedson está a mostrar o que sabe. Sobre o PAOK... nem uma palavra, antes há a deslocação ao Bessa

Rui Vitória revelou que o sérvio Fejsa esteve quase a não entrar de início diante do Fenerbahçe. E essa situação levou o treinador do Benfica, que não costuma a ser um homem de lamentos, a... lamentar algumas situações recentes.

"Tivemos a contrariedade do Fejsa, que hoje faz anos e teve problemas físicos, uma gastroenterite, com um dia combalido e esteve para não jogar. O nosso presidentenão está cá. Pela primeira vez em jogos fora, os nossos adeptos não podiam estar presentes. Aos 20 minutos, ficámos com um avançado fora (Castillo lesionado). Uma série de contrariedades. A nossa superação e valorização da passagem e trabalho fantástico dos jogadores na interpretação do que queríamos para o jogo. O segredo da qualificação? Passou por vários aspetos, mas fundamentalmente pela grande capacidade de superação dos meus jogadores. Apanhámos uma das equipas mais fortes destas pré-eliminatórias da Liga dos Campeões. Sabíamos que seria um jogo difícil", começou por dizer Rui Vitória, para depois sentenciar: "Fomos justos vencedores, com muita satisfação e com esta prova de superação que me leva a dar os parabéns aos meus jogadores, fantásticos."

Depois a análise ao melhor homem em campo: "Gedson é mais um jogador de qualidade que o Benfica tem. Há imensos que vêm aí atrás. Agrada-me ver a capacidade que um jovem de 19 anos tem para jogar a este nível. E a integração na forma e dinâmicas de jogo. Isso agrada-me, mas não me espanta. Na nossa forma de trabalhar, os jogadores percebem claramente o que têm de fazer e têm à vontade para explanar as suas capacidades. Valoriza a formação do Benfica."

A finalizar o calendário que aí vem: "Felizmente que o nosso trajeto nesta fase inicial é de descansar e competir. Já passámos três obstáculos, agora é preparar o Boavista e depois o PAOK, sobre quem não interessa agora debruçar. Penso nisso, mas não interessa agora. Temos de ganhar no Bessa a um adversário dificílimo, um passo decisivo para pensarmos a eliminatória seguinte. Um jogo de cada vez. Não se ganham dois num só. Vivemos momento a momento. Recuperar rápido para sábado e só depois pensamos na Grécia."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG