Rui Vitória e a contestação: "Sou o mesmo desde que aqui entrei"

Treinador do Benfica diz que não se foca no seu futuro e garante uma equipa "pronta a lutar até à exaustão para agarrar a oportunidade" que lhe resta em Munique

Rui Vitória diz que não é um técnico atormentado. A contestação sentida nos últimos tempos em redor da figura do treinador encarnado não o faz temer pelo futuro, garantiu esta segunda-feira, em Munique, na antevisão do encontro com o Bayern para a Liga dos Campeões, que o Benfica está obrigado a ganhar esta terça-feira para poder continuar a sonhar com os oitavos-de-final.

"O meu foco não é o Rui Vitória, garanto-lhe isso. O importante é o Benfica e é para o bem do Benfica que trabalhamos constantemente. Mais do que divergências e contestação, amanhã é importante união. É assim que vamos ultrapassar os obstáculos e nada está acima do Benfica", respondeu o treinador encarnado.

"Sou igual desde que aqui entrei. Sou uma pessoa tranquila, percebo o contexto que nós treinadores vivemos. A contestação é natural, esta é uma modalidade e um desporto com emoções à flor da pele. Percebo perfeitamente o que as pessoas podem pensar. Mas eu sou o mesmo, trabalho sempre com a mesma intensidade, sou uma pessoa feliz, faço o que gosto, com paixão e tenho um prazer enorme em trabalhar com estes jogadores", acrescentou Rui Vitória.

Agarrar a oportunidade

O Benfica está num cenário de missão quase impossível para seguir em frente na Liga dos Campeões e uma réstia de esperança passa obrigatoriamente pela vitória em Muniqu. O técnico recusa atirar a toalha ao chão e garantiu esta segunda-feira que a sua equipa está pronta para "lutar até à exaustão" pela oportunidade que ainda lhe resta.

"Sabemos o que está em causa, sabemos que temos de fazer pela vida e ir à procura do nosso objetivo. Sabemos também que temos pela frente um adversário perigoso, que tem qualidade, que joga bem, mas temos de nos agarrar à nossa oportunidade", referiu Rui Vitória, na antevisão do encontro.

O treinador encarnado afirmou que assume sempre as suas responsabilidades, tanto nas vitórias como nos fracassos, mas frisou que não pensa ainda num cenário de eliminação na Liga dos Campeões, apesar da situação delicada em que se encontra na classificação deste grupo E - em terceiro lugar, com 4 pontos, a quatro de Ajax e a seis do Bayern. "Não vou pensar nisso agora, não penso em cenários antes deles acontecerem, temos um foco muito grande na vitória."

Rigorosos atrás, objetivos à frente

E para poder sair da Allianz Arena com os três pontos - algo que o Benfica nunca conseguiu nas deslocações a Munique (aliás, nem um empate sequer) - o técnico encarnado sabe como a equipa tem de se comportar em campo: "Temos de ser rigorosos em termos defensivos e muito objetivos e claros quando partirmos para o ataque. Se for assim vamos discutir o jogo", sublinhou, frisando que "o rigor tático é mais importante do que jogar com dois ou com três avançados". "Importante é atacar bem, não é atacar muito", concluiu.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG