Ronaldo é o sétimo português na Juventus

A história começou com Rui Barros em 1988, um dos jogadores que teve sucesso em Turim. O outro foi Paulo Sousa

Cristiano Ronaldo é o sétimo jogador português a vestir a camisola da Juventus, tendo o precursor sido Rui Barros, em 1988, seguindo-se Paulo Sousa, Dimas, Jorge Andrade, Tiago e João Cancelo, que há pouco mais de uma semana assinou contrato com a Vecchia Signora.

O piccolo Rui Barros
Foi a contratação surpreendente da Juventus em 1988. Os italianos ficaram impressionados pela velocidade do pequeno jogador do FC Porto e pagaram cinco milhões de euros aos dragões para completar o lote de três estrangeiros permitidos por equipa na Série A. Foi contratado ao mesmo tempo que o ucraniano Zavarov, juntando-se ao dinamarquês Michael Laudrup.

"Il piccolo gigante", como era conhecido em Itália representou a Juventus em duas épocas, nas quais fez 83 jogos oficiais e marcou 18 golos. Quanto a títulos, apenas ajudou a conquistar uma Taça de Itália e uma Taça UEFA... e tudo porque em terras italianas dominava o Nápoles de um tal de Diego Maradona.

Paulo Sousa, o geómetra
Chegou a Turim em 1994 proveniente do Sporting, com a Juventus a pagar quatro milhões de euros. E depressa se tornou imprescindível para o treinador Marcello Lippi, que contava com estrelas como o alemão Jürgen Kholer, o francês Didier Deschamps e os italianos Ciro Ferrara, Angelo Di Livio, Antonio Conte, Frabrizzio Ravanelli, Roberto Baggio, Alessandro Del Piero e Gianluca Vialli. A Paulo Sousa chamavam geómetra... pelos passes teleguiados que fazia.

O médio formado no Benfica fez 78 jogos pela Vecchia Signora e marcou dois golos, tendo abandonado a Juventus após duas épocas, com uma Taça dos Campeões, uma Liga italiana, uma Taça de Itália e uma Supertaça italiana.

Dimas, a surpresa
Em novembro de 1996, a Juventus foi contratar o defesa-esquerdo do Benfica. Uma transferência surpreendente. Ainda assim, conquistou dois campeonatos italianos numa equipa onde também estavam, além Del Piero, estrelas como Zinedine Zidane, Alen Boksic e Christian Vieri.

Foi transferido para os turcos do Fenerbahçe no início da época 1998/99, após 48 jogos com a camisola da Vecchia Signora.

Jorge Andrade, o azarado
Tinha 29 anos quando foi contratado pela Juventus por 10 milhões de euros, colocando ponto final a cinco temporadas ao serviço do Deportivo da Corunha. Só que o defesa-central, que na altura era titular da seleção portuguesa, não teve sorte em Turim, pois as lesões, que o obrigaram mesmo a terminar a carreira, apenas o deixaram fazer cinco jogos na primeira das duas épocas em que representou a Vecchia Signora.

O último jogo que fez foi com a Roma, à 4ª jornada da época 2007/08, tendo sido substituído aos 55 minutos devido àquela lesão fatídica.

Tiago, sem sorte
O médio não teve sorte nas duas épocas e meia que representou a Juventus, que passava por uma crise de resultados. Foi contratado ao Lyon, em 2007, tendo o clube de Turim pago 13 milhões de euros.

Partilhou o balneário com Jorge Andrade e assistiu de perto ao seu drama, numa equipa que tinha como principais estrelas o guarda-redes Gianluigi Buffon e o francês David Trezeguet, além de Del Piero e Pavel Nedved já no ocaso das suas carreiras.

Foram 53 jogos com a camisola bianconera, sem qualquer golo marcado nem qualquer título conquistado.

João Cancelo, o novato
É o mais recente jogador português a vincular-se à Juventus. O defesa-direito, de 24 anos, foi contratado já este verão ao Valência por 40,4 milhões de euros e será o sexto português a jogar pelo clube de Turim. Irá agora partilhar o balneário com Cristiano Ronaldo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG