Piloto morre a cumprir o sonho de ser a mulher mais rápida do mundo

A norte-americana Jessi Combs, de 36 anos, não resistiu a um acidente quando tentava bater um recorde no deserto de Alvord, no estado de Oregon.

A norte-americana Jessi Combs, piloto de automóveis e apresentadora de televisão, morreu num acidente de automóvel quando tentava estabelecer um novo recorde de velocidade terrestre, no deserto de Alvord, a sudeste do estado do Oregon. A revelação foi feita pela sua família num comunicado difundido esta quarta-feira, embora não sejam conhecidos pormenores do acidente.

Combs, de 36 anos, tentava tornar-se a mulher mais rápida da terra, algo que de acordo com o comunicado da família "era um dos sonhos" da piloto desde 2012. "Ela foi uma das raras sonhadoras com coragem para tornar os sonhos em realidade e deixou a Terra conduzindo mais rápido que qualquer outra mulher na história", acrescenta o comunicado.

Jessi Combs começou a sua carreira como construtora de automóveis hot rod (carros antigo mdoficados com rodas traseiras largas), passou depois a ser piloto, tendo ainda apresentado em vários programas televisivos sobre carros.

Terry Madden, companheiro de equipa de Combs, classificou a amiga como uma mulher com "um espírito incrível". "Infelizmente perdemo-la ontem em um acidente horrível. Fui o primeiro a chegar ao local e, acreditem, fizemos tudo o que era humanamente possível para salvá-la", disse numa publicação na sua conta de Instagram.

O desejo de bater os 823 quilómetros por hora estabelecidos pela americana Kitty O'Neil, em 1976, foi revelado pela própria Jessi Combs nas redes sociais e ainda esta semana fazia alusão a esse objetivo no Instagram: "Pode parecer um pouco louco entrar diretamente na linha de fogo... aqueles que estão dispostos fazê-lo são os que conseguem grandes feitos. As pessoas dizem que sou louca. A esses digo obrigada."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG