Petr Cech anuncia que vai abandonar o futebol no final da época

Guarda-redes checo de 36 anos brilhou ao serviço do Chelsea com José Mourinho como treinador, antes de se mudar para o Arsenal. Em 2006 sofreu uma grave lesão na cabeça e desde então passou sempre a usar um protetor.

Ponto final. Petr Cech, 36 anos, guarda-redes do Arsenal, anunciou esta terça-feira através de um comunicado colocado nas redes sociais que vai deixar de jogar no final desta época. Chega assim ao fim uma carreira de 20 anos, 15 deles ao mais alto nível na seleção da República Checa e no campeonato inglês.

"Esta é a minha 20.ª época como futebolista profissional, já se passaram 20 anos desde que assinei o meu primeiro contrato profissional, por isso chegou o momento de anunciar que vou retirar-me no final desta temporada. Depois de jogar durante 15 anos na Premier League e de ter ganho todos os troféus possíveis, sinto que alcancei tudo a que me propus. Vou continuar a trabalhar arduamente no Arsenal para conseguir mais um troféu esta temporada e estou ansioso para ver o que a vida reserva fora dos relvados", escreveu o jogador nas suas contas pessoais nas redes sociais.

Petr Cech começou a carreira no Chmel Blsany e depois deu o salto para o Sparta de Praga. Foi aqui que começou a dar nas vistas e de onde saiu em 2002 para o Rennes, de França. Em 2004 foi contrato pelo Chelsea onde coincidiu vários anos com José Mourinho. No clube londrino conquistou uma Liga dos Campeões, uma Liga Europa, quatro títulos de campeão inglês, quatro Taças de Inglaterra, três Taças da Liga inglesa e duas Supertaças de Inglaterra. Em 2015 assinou pelo Arsenal, o seu atual clube, onde somou mais troféus - mais uma Taça de Inglaterra e uma Supertaça.

Considerado um dos melhores guarda-redes do mundo, chegou a estar 855 minutos sem sofrer golos pela seleção da República Checa e 1025 minutos sem ser batido no Chelsea. Em outubro de 2006 sofreu uma grave lesão na cabeça, após um choque com o defesa Stephen Hunt, num jogo frente ao Reading, depois de ter sido atingido pelo joelho do adversário. Teve de ser operado à cabeça e esteve vários meses afastado da competição. Regressou em janeiro de 2007, numa partida diante do Liverpool, e desde esse jogo até à atualidade usou sempre um protetor na cabeça.

Exclusivos