FC Porto perde dois pontos (e Marega) em Guimarães

Dragões emparam a zero no Estádio D. Afonso Henriques, na 20.ª jornada da I Liga, permitindo a aproximação do Benfica no dia em que as águias venceram o dérbi de Alvalade

O FC Porto saiu com prejuízo de uma jornada marcada pelo dérbi lisboeta, empatando em Guimarães e permitindo a aproximação do Benfica, que horas antes tinha gelado Alvalade com um triunfo por 4-2. Três pontos separam agora dragões e águias, que voltam a depender de si para chegar ao título nacional.

No Estádio D. Afonso Henriques, dizia a tradição, a classificação e os desempenhos recentes do Vitória, esperava-se um jogo muito complicado para os portistas, até pela derrota na primeira volta no Dragão (2-3). E na prática, verificou-se essa dificuldade.

Sérgio Conceição repetiu o mesmo onze que bateu Desp. Chaves (4-1 fora) e Belenenses (3-0 casa) nas últimas jornadas, mas do outro lado encontrou um Luís Castro dotado do antídoto para travar os campeões nacionais, sem que os minhotos perdessem a sua identidade de equipa que gosta de ter bola e que tem variedade de soluções para chegar ao último terço.

Óliver e Herrera, dois elementos que brilharam nas partidas anteriores, foram condicionados pela pressão alta vimaranense, nomeadamente pela vigilância apertada de Pepê e Joseph, que obrigaram Casillas e os centrais a bater longo em detrimento de ligar o jogo com os médios azuis e brancos.

Ainda assim, o FC Porto mostrou-se perigoso sempre que chegou junto à área contrária, com remates de Brahimi ao lado (seis minutos), Soares à trave (16'), Alex Telles para defesa de Douglas (22') e Marega para corte de Venâncio em cima da linha de golo (41'). Pelo meio, Rafa Soares disparou para intervenção incompleta de Casillas (22') e os adeptos de ambos os clubes insultaram e arremessaram cadeiras uns aos outros, num espetáculo dispensável.

Vitória diferente no segundo tempo

No segundo tempo, o Vitória de Guimarães voltou a demonstrar ter grande variedade de soluções, mostrando capacidade para atuar num bloco mais baixo e apostar em saídas rápidas para o ataque. É verdade que não criou grande perigo nos últimos 45 minutos, mas conseguiu anular quase sempre os dragões, que não aproveitaram as poucas ocasiões de que dispuseram: cabeceamento de Soares para defesa de Douglas (64'), remate em esforço de Marega para mais um corte providencial de Venâncio (73') e remate de Corona para mais uma brilhante intervenção de Douglas (86').

Além da aproximação de Benfica e Sp. Braga, Sérgio Conceição recebeu outra má notícia, a lesão de Marega, que se magoou sozinho enquanto fazia um sprint, à entrada para o derradeiro quarto de hora de jogo. O técnico portista ainda tentou solucionar o problema com as entradas em campo de heróis de episódios anteriores, Fernando Andrade e Hernâni, mas de nada valeu.

O empate no D. Afonso Henriques fez jus à tradição: Na I Liga, foram mais os jogos que o FC Porto não ganhou em Guimarães (39) do que os que ganhou (35), tendo somado 23 empates e 16 derrotas.

A figura: Douglas

Entrou mal no jogo, escorregando em algumas reposições, mas redimiu-se pela forma como ajudou à escorregadela portista em Guimarães. Gigante entre os postes, brilhou com intervenções de qualidade em resposta aos remates de Alex Telles (22'), Soares (64') e Corona (86') e fez valer a sua qualidade também nas saídas de entre os postes.

Na Cidade Berço desde 2010, o guarda-redes brasileiro de 35 anos vive uma das melhores fases da carreira, afirmando-se como um dos esteios da equipa que tem a terceira defesa menos batida da I Liga (19 golos sofridos), apenas superada por Sp. Braga (17) e FC Porto (11).

Ficha de jogo

Jogo no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Árbitro: Rui Costa (AF Porto).

Assistência: 25.110 espetadores.

Vitória de Guimarães: Douglas, Sacko, Frederico Venâncio, Pedro Henrique, Rafa Soares, Wakaso, Joseph (Mattheus Oliveira, 81), Tozé, Pêpê (Rochinha, 72), Davidson e Alexandre Guedes (Welthon, 71).

Treinador: Luís Castro.

FC Porto: Casillas, Eder Militão, Pepe (Hernâni, 90+3), Felipe, Alex Telles, Corona, Herrera, Oliver, Brahimi (Otávio, 67), Marega (Fernando Andrade, 76) e Soares.

Treinador: Sérgio Conceição.

Disciplina: cartão amarelo para Oliver (65), Wakaso (89), Hernâni (90+5), Herrera (90+7) e Alex Telles (90+7).

Resumo do jogo

Filme do jogo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG