Seferovic-Félix. A dupla infernal de Lage que anulou o leão no dérbi

O Benfica foi superior ao Sporting e venceu o dérbi lisboeta da 2.ª jornada da I Liga. Um triunfo por número expressivos (4-2) que no final de contas colocaram as águias a três pontos do FC Porto, que empatou em Guimarães.

O Benfica foi superior ao Sporting e venceu o 304.º dérbi lisboeta da história do futebol. Um triunfo por número expressivos (4-2) que colocou as águias a três pontos do líder FC Porto (empatou em Guimarães) e afastam os leões da luta pelo título. Este domingo, os encarnados foram a Alvalade vencer o grande rival na 20.ª jornada da I Liga, num jogo com seis golos (mais três anulados), que pôs fim a um ciclo de 28 jogos do Sporting sem perder em casa e para o campeonato. E tudo isto com Cristiano Ronaldo a ver. O ex-leão marcou presença em Alvalade para ver o dérbi.

A última vez que um dérbi entre Sporting e Benfica acabou com seis golos ou mais foi na época 1998/1999, na última jornada da I Liga, no Estádio da Luz. No ano em que o FC Porto, consumou o penta, encarnados e leões empataram 3-3, o que acabou por confirmar o terceiro lugar do Benfica, à frente do eterno rival. Kandaurov, Poborsky e Nuno Gomes marcaram pelas águias, com Iordanov (bisou) e Rui Jorge a marcarem para os verdes e brancos.

Este domingo o resultado não foi tão equilibrado como há 20 anos. Muito por culpa da dupla Seferovic- João Félix, que em Alvalade chegou aos 12 golos em sete jogos!

O domínio da equipa de Bruno Lage começou com o apito inicial e 1 e acabou já depois do minuto 90, numa partida com muitos casos e um VAR muito ativo. Mérito para o treinador do Benfica que soube encontrar espaços nas zonas de finalização perante um Sporting lento sobre a bola e pouco esclarecido a sair para o ataque. A dupla atacante João Félix e Seferovic voltou a ser fatal para o adversário, neste caso, dos leões. Com a ajuda de Gabriel, Seferovic adiantou o Benfica. Um golo que se fazia esperar apesar das tentativas de Wendel e Bruno Fernandes de chegar à baliza de Valchodimos.

Golo do Sporting a fechar a primeira parte e balde de água fria a abrir o segundo tempo

Depois do golo encarnado a luta a meio-campo ficou durinha e Soares Dias teve de sacar dos amarelos para por gelo no jogo. Mas havia um jovem irreverente que teimava em colocar o nome entre os marcadores do dérbi. João Félix voltou a ser titular e deu muito trabalho a Gudelj, André Pinto e Jefferson antes de marcar um grande golo... que não contou. O VAR anulou o golo do jovem benfiquista por falta sobre Wendel no lance. Depois, numa jogada de ataque corrido, fez o 2-0 para o Benfica.

Parecia fácil chegar à baliza de Renan, que ainda evitou um golo de Seferovic antes dos leões reduziram o marcador. Uma jogada de Wendel, Nani e Bruno Fernandes, que acabou no fundo da baliza de Vlachodimos. Servido pelo capitão, o camisola 8 encheu o pé e de primeira acertou no alvo mesmo antes do intervalo. O golo prometia relançar o duelo para a segunda parte, mas o leão voltou subjugado a uma águia que respira confiança. Logo a abrir a segunda parte Rúben Dias fez o 3-1 num lance raro. Num canto, o central subiu mais alto e fez o primeiro golo de bola parada da equipa esta época.

Cheirava a goleada. O Sporting era lento sobre a bola e sem saber como se libertar da pressão alta do Benfica. A mensagem de Keizer, que já tinha tirado Nani para meter Diaby, não passava para campo e a equipa passou por um mau bocado. Renan, muito desapoiado na baliza. Sozinho e com três benfiquistas pela frente, o guardião brasileiro acabou mesmo por cometer grande penalidade sobre João Félix. Pizzi foi chamado à marca dos 11 metros e não desperdiçou. O 4-1 envergonhava o Sporting e os adeptos começaram a abandonar as bancadas de Alvalade e a mostrar lenços brancos a Keizer. Alguns dele já não viram João Félix a falhar um golo de baliza aberta já depois de Seferovic acertar no poste da baliza de Renan.

A vencer por três golos de diferença, os encarnados relaxaram e viram Bas Dost arrancar um penálti e expulsar Vlachodimos, que assim falha o dérbi da primeira mão da meia final da Taça de Portugal, na quarta-feira, na Luz. Teve então de entrar em ação Svilar, que ainda adivinhou o lado para onde o holandês atirou, mas não impediu o 4-2.

O leão sai cabisbaixo do dérbi, a 11 pontos do líder FC Porto e num quarta lugar cada vez mais difícil de largar. Afastado da luta pelo título resta ao Sporting ir à procura da dignidade perdida no jogo da Taça de Portugal. Já o Benfica recuperou o segundo lugar e meteu pressão do campeão, que empatou em Guimarães (0-0).

FIGURA

Dupla Seferovic-João Félix. O suíço esteve muito ativo no jogo. Marcou um golo, ofereceu outro, ainda marcou mais um qie foi anulado e atirou uma bola ao poste. Já o português marcou um passe de Seferovic, viu outro ser anulado e ainda sofreu uma grande penalidade que resultou em golo de Pizzi... além de ter falhado um golo de baliza aberta. Uma dupla infernal desde a entrada em cena de Bruno Lage. Nos últimos sete jogos só um acabou sem golos da dupla (FC Porto, Taça da Liga). Juntos marcaram 12 golos, sete para o suíço, cinco para o português...

FICHA DE JOGO

Jogo no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Sporting - Benfica, 2-4.

Marcadores: 0-1, Seferovic, 11 minutos; 0-2, João Félix, 36; 1-2, Bruno Fernandes, 43; 1-3, Rúben Dias, 46; 1-4, Pizzi, 73 (grande penalidade); 2-4, Bas Dost, 89 (grande penalidade).

Equipas

Sporting: Renan Ribeiro, Bruno Gaspar, Coates, André Pinto (Luiz Phellype, 89), Jefferson, Gudelj, Wendel, Bruno Fernandes, Nani (Diaby, 46), Raphinha (Jovane Cabral, 86) e Bas Dost.

Treinador: Marcel Keizer.

Benfica: Vlachodimos, André Almeida, Rúben Dias, Jardel, Grimaldo, Samaris, Gabriel, Pizzi (Salvio, 90+4), Rafa (Svillar, 88), João Félix (Cervi, 76) e Seferovic.

Treinador: Bruno Lage.

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Coates (23), Bruno Fernandes (89), Pizzi (29), Gudelj (60), Gabriel (62), Renan Ribeiro (73) e Raphinha (82). Cartão vermelho direto para Vlachodimos (85).

Exclusivos