Mourinho derrotado no reencontro com o Chelsea (veja os golos)

O Chelsea foi mais forte no dérbi londrino e bateu o Tottenham por 2-1. Spurs somaram a segunda derrota consecutiva e têm o quinto lugar em risco na Premier League

O regresso de José Mourinho a Stamford Bridge não feliz, com o Tottenham a ser derrotado neste sábado por 2-1 no campo do Chelsea, num jogo que marcou ainda o reencontro do treinador português com Frank Lampard, seu antigo jogador nos blues.

Com duas grandes baixas, os avançados Harry Kane e Son, que devido a lesão não jogam mais nesta temporada, Mourinho formou uma dupla atacante com Bergwijn e Lucas Moura e apostou numa linha de cinco defesas, tal como o adversário - o médio português Gedson Fernandes não saiu do banco.

O Chelsea colocou-se me vantagem logo aos 15 minutos, por intermédio de Olivier Giroud, na recarga a uma primeira bola que bateu no poste da baliza de Lloris. E logo no início do segundo tempo, aos 48', os blues aumentaram a vantagem através de Marcos Alonso, um grande golo num remate de meia distância após uma boa jogada de entendimento. O espanhol, aos 82', ainda atirou uma bola ao ferro na cobrança de um livre direto.

Aos 88', o Tottenham reduziu através de um autogolo de Rudiger, que tocou na bola e traiu o guarda-redes Willy Caballero após um remate de Dele Alli.

"Não temos um avançado e temos jogadores cansados. É tão simples como isto. Ainda assim fizemos um bom jogo. Se tivessemos marcado primeiro talvez tivessemos hipóteses, pois a equipa estava bem organizada. Na parte final do jogo, quando o Chelsea se assustou com o nosso golo, não tínhamos presença no ataque, faltou-nos esse poder, não podíamos fazer mais do que fizemos", referiu José Mourinho.

Os responsáveis da Premier League admitiram, instantes após terminar o jogo, que o videoárbitro (VAR) no Chelsea-Tottenham deveria ter dado indicação para a expulsão de argentino Giovani Lo Celso. Aos 54 minutos do jogo, Lo Celso pisou a perna do espanhol Azpilicueta, numa ação que não teve qualquer penalização disciplinar do árbitro Michael Oliver.

"Penso que o Michael [Oliver] não viu, porque o corpo do Azpilicueta esconde a bola. A este ponto vai ao VAR. (...) O Dave [Coote] é humano, cometeu um erro. Devia ter recomendado ao árbitro que visse", explicou Dermot Gallagher, antigo árbitro e atualmente no acompanhamento da arbitragem na competição.

"Fiquei surpreendido por não ter sido cartão vermelho, e nem sequer amarelo. Obviamente todos erramos, mas quando temos várias repetições deveria ser mais fácil", criticou Azpilicueta, no final do encontro, em relação ao lance em que foi pisado.

Este triunfo permitiu ao Chelsea cimentar o quarto lugar da liga inglesa, agora com 44 pontos, e aumentar a distância para o Tottenham, que está provisoriamente no quinto posto, agora a quatro pontos do rival de Londres.

Esta foi o segundo desaire consecutivo do Tottenham, que a meio da semana foi derrotado em casa pelos alemães do Leipzig (0-1), em jogo da primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG