Maia volta a ser palco da maior prova de ginástica acrobática do mundo

Portugal tem seis equipas em competição na Taça do Mundo, que decorre em paralelo com a 13.ª edição do MIAC

Desde esta quinta-feira até ao próximo domingo, o Complexo Municipal de Ginástica da Maia acolhe a 13.ª edição da Maia International Acro Cup (MIAC), que pelo oitavo ano consecutivo reparte atenções com uma edição da Taça do Mundo da modalidade. No total, são mais de 1200 atletas em ação ao longo dos quatro dias, no conjunto das duas competições.

A parte competitiva da Taça do Mundo arranca às 20.00 de sexta-feira e nela Portugal estará representado por seis equipas, quatro delas do Acro Clube da Maia, clube anfitrião. No total, são 17 atletas lusos em ação: Rita Ferreira e Ana Rita Teixeira (Par Feminino - AcroCM), Bárbara Sequeira, Francisca Maia e Francisca S. Maia (Grupo Feminino - AcroCM), Mariana Candeias, Raquel Ferreira e Madalena Cavilhas (Grupo Feminino - Ginásio Clube Português), Ana Fontes, Ana Pratas e Isis Coutinho (Grupo Feminino - Associação Académica de Coimbra), Bruno Tavares e Carolina Dias (Par Misto - AcroCM) e Henrique Piqueiro, Henrique Silva, Frederico Silva e Miguel Silva (Grupo Masculino - AcroCM).

Completam a seleção portuguesa os treinadores Ana Cardoso (GCP), João Paulo Dias (AAC) e Lourenço França (AcroCM), os juízes Ana Lopes e Pedro Emídio e o Chefe de Delegação Virgílio Almeida.

Ora, em simultâneo com a Taça do Mundo, decorre também a 13.ª edição do MIAC, proporcionando "o maior torneio gímnico jamais realizado em Portugal e a maior prova de ginástica acrobática alguma vez realizada a nível mundial​​​"​, de acordo com a organização, que destaca a presença muitos ginastas medalhados nos últimos Campeonatos da Europa e do Mundo, assim como a estreia da seleção da Lituânia no circuito mundial.

O presidente do Acro Clube da Maia, Fernando Barros, salienta que "a evolução qualitativa e quantitativa do torneio têm sido espetaculares" e sublinha que desde a primeira edição, em 2007, até hoje, o MIAC "cresceu mais de 1000%". "É uma prova do cariz internacional fortíssimo e do reconhecimento mundial do MIAC", acrescenta.

A competição maiata tem em jogo um prize money de 12 mil euros e acolhe comitivas de 21 países.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG