City e Tottenham empatam em Manchester. Liverpool e Arsenal na liderança

Reds venceram no terreno do Southampton, enquanto gunners bateram em casa o Burnley. Campeão Manchester City não foi além de um empate na receção ao Tottenham

O campeão Manchester City, com Bernardo Silva a titular, não conseguiu este sábado ultrapassar o Tottenham, em jogo da segunda jornada da Liga inglesa, que terminou com um empate a 2-2.

Em duas ocasiões os citizens estiveram em vantagem, com golos de Raheem Sterling, aos 20 minutos, e Kun Aguero, aos 35, ambos anulados por Eric Lamela, aos 23, e, Lucas Moura, já na segunda parte, aos 56.

Os dois emblemas tiveram importantes duelos na última época, não só na Premier League, mas igualmente na Liga dos Campeões, competição em que os londrinos eliminaram o City nos quartos-de-final.

Este sábado, tal como no jogo da Champions, o vídeoárbitro tirou nos instantes finais um golo à equipa de Manchester, devido a um toque do braço de Laporte na bola, antes de Gabriel Jesus fazer o que seria o 3-2.

O jogo ficou ainda marcado por um desentendimento entre o treinador Pep Guardiola e o Aguero aquando da substituição do avançado argentino.

O empate entre os dois candidatos deixa para já o Arsenal e o Liverpool na frente do campeonato, ambos com vitórias nas duas jornadas, mas que ainda podem ser alcançados por Manchester United, que na segunda-feira visita o Wolverhampton de Nuno Espírito Santo.

Nesta ronda, o Liverpool saiu vitorioso da visita ao Southampton (2-1), e o Everton, de Marco Silva, conseguiu a primeira vitória esta época, ao bater o Watford (1-0), com um golo de Bernard, aos dez minutos.

No domingo, igualmente em jogos da segunda jornada, o promovido Sheffield United recebe o Cristal Palace, e o Chelsea o Leicester.

Veja AQUI a classificação da liga inglesa.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.