Liga de Futebol define três fases para o regresso do público aos estádios

Primeiro jogo com público é no sábado, com 10% da lotação, do estádio do Santa Clara. Objetivo é conseguir orcupação de pelo menos 30% das bancadas

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) delineou um plano de três fases para o regresso do público aos estádios, que tem início no sábado com o jogo da I Liga entre Santa Clara e Gil Vicente.

A diretora executiva da LPF, Sónia Carneiro, disse esta quinta-feira, em Coimbra, numa conferência de imprensa no Estádio Cidade de Coimbra, que o plano, sujeito à evolução da pandemia da covid-19, envolve vários testes pilotos, distribuídos por três fases, num processo "que se quer evolutivo".

A primeira fase, que tem início já no próximo sábado com o jogo Santa Clara-Gil Vicente, com a possibilidade de registar uma assistência de 1.000 pessoas, num estádio com capacidade para 10 mil espetadores.

Numa segunda fase, a LPFP pretende uma assistência máxima de 2.500 pessoas, sem ocupar 20% da capacidade do estádio e, numa terceira fase, 5.000 pessoas sem ultrapassar uma ocupação de 30% do estádio.

"Depois destes testes piloto, o objetivo é conseguirmos a ocupação, de pelo menos, 30% das bancadas de todos os estádios", salientou Sónia Carneiro.

Segundo Sónia Carneiro, os testes pilotos vão permitir à LPFP concluir, em termos de público dos clubes, a forma como chegam aos estádios e os circuitos de acesso e a sinalética que é necessário implementar.

"Sentimos que podemos fazer estes testes e que, seguramente, os faremos com sucesso, porque falamos repetidamente com colegas de outras ligas que já as experimentaram e conseguiram mostrar um comportamento adequado do público", frisou.

Presente na conferência de imprensa, o pneumologista Filipe Froes, coordenador do gabinete de crise da covid-19 da Ordem dos Médicos e consultor da LPFP, salientou: "se queremos dar exemplos de cidadania e responsabilidade individual e coletiva termos de dar essa oportunidade dos adeptos o poderem demonstrar".

Para o médico, a presença de público nos estádios é um "teste à cidadania, responsabilidade individual e coletiva" no combate à pandemia da covid-19, em que todos têm "responsabilidade individuais e coletivas" perante os outros.

Adeptos separados por cinco lugares no primeiro jogo com público da I Liga

Os adeptos vão estar separados cinco lugares, mesmo sendo coabitantes, no jogo Santa Clara - Gil Vicente, da terceira jornada da I Liga, que será o primeiro jogo profissional a ter público esta época em Portugal devido à covid-19.

As normas sanitárias que vão estar em vigor durante o jogo foram anunciadas esta quinta-feira pelo presidente do Santa Clara, Rui Cordeiro, em conferência de imprensa, no estádio de São Miguel.

"Será feita a ocupação obrigatória do lugar identificado no ingresso, inclusive entre coabitantes. Os lugares disponíveis serão devidamente sinalizados, através da sinalética 'não sentar' e haverá existência de cinco cadeiras de intervalo entre cada lugar ocupado", afirmou Rui Cordeiro.

Questionado pelos jornalistas, o presidente do Santa Clara confirmou que o distanciamento de cinco cadeiras se aplica a coabitantes e, inclusive, a pais e filhos menores.

"É um normativo que será aplicado não apenas aqui neste jogo teste, jogo piloto, do Santa Clara para a I Liga, mas pensamos que serão estas as regras seguidas para o teste piloto que está a ser feito na seleção", afirmou.

Também no documento elaborado pela Liga em conjunto com a Direção Regional da Saúde sobre as diretrizes para o encontro, a que a agência Lusa teve acesso, lê-se, quanto às regras de ocupação dos lugares: "ocupação obrigatória do lugar identificado no ingresso, inclusive entre coabitantes".

O uso de máscara vai ser obrigatório ao longo de todo o jogo e serão registados os contactos de todos os adeptos presentes.

A venda dos bilhetes para o encontro vai se iniciar na sexta-feira, sendo apenas destinada para os sócios do Santa Clara (sócios com lugar anual terão bilhete grátis) com a venda limitada a um bilhete por sócio.

Caso os ingressos não esgotem (a lotação do estádio está limitada a 1.000 pessoas), haverá venda de bilhetes no dia de jogo a qualquer adepto interessado na bilheteira do estádio de São Miguel.

"Pensamos que este é o tempo certo, é o tempo do primeiro teste piloto no jogo entre o Santa Clara e o Gil Vicente, respeitando sempre o que para nós foi mais importante que é a evolução da situação epidemiológica na região autónoma dos Açores", acrescentou o presidente do clube.

O presidente da formação açoriana salientou a "responsabilidade acrescida", referindo que o jogo será "visionado por instâncias internacionais" sendo por isso "importante para a promoção dos Açores enquanto destino seguro".

"É uma responsabilidade acrescida que nos assenta bem, que nós assumiremos com responsabilidade e acima de tudo apelando a uma cidadania ativa, de ser mais uma vez os açorianos a dar o exemplo", declarou.

O jogo Santa Clara -- Gil Vicente, da terceira jornada da I Liga de futebol, vai ter uma assistência de 1.000 pessoas, sendo o primeiro jogo profissional da época a ter público no estádio devido às restrições da covid-19.

A permissão de público no estádio de São Miguel surge após a Liga ter sugerido à Direção Regional da Saúde dos Açores (DRS) que aplicasse aos encontros do Santa Clara as normas regionais, que permitem a presença de público em eventos desportivos.

Os próximos jogos da seleção portuguesa frente à Espanha e à Suécia, ambos no estádio Alvalade XXI, foram autorizados a receber público, revelou na terça-feira a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), em comunicado.

O jogo entre o Santa Clara e o Gil Vicente está marcado para sábado, às 15:00 locais (menos uma hora do que no continente), no estádio de São Miguel, em Ponta Delgada.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG