Leonel Pontes: "Bruno Fernandes não foi protegido neste jogo"

O treinador do Sporting queixou-se da expulsão do capitão e do número de faltas que sofreu. Já Lito Vidigal, treinador do Boavista, respondeu dizendo que os seus jogadores "não têm maldade" e que Pontes falou com a cabeça quente.

Leonel Pontes, treinador do Sporting, lamentou a expulsão de Bruno Fernandes já perto do final da partida e deixou um recado ao árbitro Jorge Sousa. "As coisas passaram um pouco impunes em função daquilo que foi a realidade do jogo. Ele acabou expulso e pelo que percebi o lance não é para expulsão, mas é decisão do árbitro. Não falo da expulsão, falo antes, do número de faltas que o Bruno Fernandes sofreu e ele não foi protegido neste jogo", disse, acrescentando que o capitão leonino "é um dos melhores médios portugueses da atualidade e provavelmente é o jogadores mais massacrado com faltas e agressividade".

"Lamentavelmente, e olhando a um passado recente, começamos a ver coisas um pouco estranhas... O futebol é um jogo simples, mas rodeado de coisas estranhas. É estranho não haver mais respeito por uma instituição centenária como o Sporting", disse Pontes, lembrando que "o Bruno Fernandes sofreu dez faltas, seis cometidas pelo mesmo jogador. Levou um vermelho por indignação. Bem analisado, parece forçado".

Sobre a partida, disse que foi "equilibrada". "Sabíamos que o Boavista ia defender, baixar as linhas e jogar no nosso erro. Numa perda de bola, tivemos de fazer falta e o Boavista marcou. Reagimos bem ao golo, mas não tivemos qualidade ofensiva na primeira parte, sobretudo no corredor esquerdo. Faltara dinâmicas o que é normal, porque o Acuña nunca jogou ligado aos companheiros, o Bolasie e a outros. Na segunda parte corrigimos algumas coisas, começámos a atacar mais por fora e criámos algumas situações de golo. Em função do que foram as oportunidades de golo, acho que podíamos justificar a vitória", explicou

Leonel Pontes admitiu que a sua equipa esteve "mais esclarecida" na segunda parte. "A jogar mais por fora, sem cometer tantos erros na construção, e obrigámos o adversário a baixar mais no terreno, com mais bola na área. Jogámos no espaço interior mais perto da área e a partir daí ganhámos muitas faltas."

Lito Vidigal responde a Pontes: "Os meus jogadores não têm maldade nenhuma"

Lito Vidigal, treinador do Boavista, comentou as queixas do seu homólogo Leonel Pontes sobre Bruno Fernandes. "Gosto muito do Leonel Pontes, é um excelente treinador, mas acho que ele disse isso por estar aqui a falar a quente... É injusto dizer que o Bruno Fernandes foi massacrado. Não vi nada disso. É injusto para a minha equipa e para os meus jogadores, que não têm maldade nenhuma, eu até gostava que eles tivessem mais e tentamos incutir isso, mas são sérios e leais. O Bruno Fernandes é um craque e estamos a passar uma imagem muito negativa", adiantou.

Quanto ao desfecho da partida, lamentou o facto de a sua equipa não ter tido "uma ponta de felicidade para ganhar a um clube da dimensão do Sporting". "Sofremos um golo num ressalto e tivemos oportunidades para fazer mais... O resultado não é justo. Era o Boavista que merecia ganhar até pela diferença que existe em termos de qualidade e poderio entre nós e o Sporting. Conseguimos superar isso com inteligência, com querer, atitude, responsabilidade e coletivo", frisou, acrescentando que o jogo foi ""muito rico taticamente". "Jogámos de formas diferentes, fomos mudando sempre o sistema ao longo do jogo em função daquilo que queríamos. Foi mesmo pena não sair daqui com a vitória", concluiu.

Exclusivos