Kobe Bryant morre num acidente de helicóptero. Há 9 vítimas

Uma das quatro filhas do atleta, Gianna, de 13 anos, também já uma promessa do basquetebol, não sobreviveu ao acidente. No aparelho seguiam nove pessoas, ao contrário das cinco que se avançou inicialmente, e nenhuma sobreviveu.

A antiga estrela de basquetebol norte-americano Kobe Bryant, de 41 anos, morreu este domingo, em Los Angeles, na queda do helicóptero onde seguia. Também uma das suas filhas, Gianna​ Maria Onore, de 13 anos, perdeu a vida.

Inicialmente, as autoridades referiram que a bordo seguiam cinco pessoas e que todas tinham morrido, mas, pelas 15:00 horas locais (23:00 em Lisboa), vários órgãos de comunicação social, como o site TMZ e o jornal LA Times, avançavam que, afinal, eram mais vítimas, o piloto e oito passageiros, informação posteriormente confirmada oficialmente.

O Los Angeles Daily News garantia que o técnico de basebol, John Altobelli, do Orange Coast College, amigo de Kobe, também estava no helicóptero, identidade que foi confirmada mais tarde pelas autoridades. Mas no aparelho estavam também a filha, Alyssa, e a mulher, Keri, de John Altobelli, anunciou à CNN o irmão do treinador de basebol, Tony Altobelli.

O presidente americano Donald Trump já reagiu no twitter à morte de Kobe dizendo que era "uma notícia terrível." Barack e Michele Obama já manifestaram o seu pesar pela morte do jogador que dizem ser "uma lenda".

O site TMZ foi o primeiro a avançar a notícia de que Kobe Bryant não tinha sobrevivido ao acidente. "Não houve sobreviventes", referia o site de notícias. Mais tarde, a mayor de Calabasas, Alicia Weintraub, confirmava oficialmente a notícia da morte da estrela da NBA.

Pouco depois, as reações não se fizeram esperar no twitter, desde políticos a Hollywood aos colegas da NBA. Michael Jordan veio dizer: "Eu amava o Kobe, ele era como um irmão mais novo para mim". Magic Johnson também comentou: "O maior Laker de todos os tempos partiu".

O acidente tinha ocorrido na zona de Calabasas, Los Angeles, Malibu. Testemunhas oculares referiram ao TMZ que antes do incêndio ouviram "o motor rebentar". As autoridades de Los Angeles já instauraram uma investigação ao acidente para apurar as suas causas.

A filha, Gianna​ Maria Onore, de 13 anos, conhecida como Gigi, também uma promessa do basquetebol, viajava no helicóptero com o pai e também não resistiu. Segundo as autoridades, Kobe e a filha iam a caminho da Academia de Desporto Mamba para ela participar num jogo, integrado num torneio.

Kobe foi recentemente visto em jogos da NBA com a sua filha Gianna - uma jogadora de basquete em ascensão. A sua filha mais nova, Capri, tem apenas meses, nasceu em junho de 2019. Mas há mais duas, Natalia e Bianca.

O site TMZ explicava que Kobe era conhecido por usar o seu helicóptero, um Sikorsky S-76, para viajar. Até às 22.30 deste domingo, 14.30 em Los Angeles, aguardava-se uma conferência de imprensa das autoridades, já que se sabia que no aparelho seguiam cinco pessoas ao todo e só se conhecia a identidade de duas, Kobe e a filha Gianna. Embora, o Los Angeles Daily News, avançasse que o técnico de basebol, John Altobelli, do Orange Coast College, amigo de Kobe, também estava no helicóptero.

Kobe Bryant era o 24 do Los Angeles Lakers. Conhecido pelo seu 1,98 m de altura e pelos seus 90 quilos, era considerado "um génio", "uma lenda" "um dos melhores da última geração de jogadores da NBA". Jogou durante 20 anos e só há um dia tinha sido ultrapassado por LeBron James na marcação de pontos.

Ele foi até ao dia 25 de janeiro de 2020, um dia antes de morrer, o terceiro melhor marcador da história da NBA, com 33 643, apenas atrás de Kareem Abdul-Jabbar, com 38 387, e de Karl Malone com 36 928. Neste sábado, tinha sido ultrapassado por LeBron James, que atingiu os 33 655. Kobe deu-lhe os parabéns através do Twitter: "Continua a levar o jogo para a frente King James. Muito respeito irmão".

Em 1996, Kobe foi o primeiro a ser escolhido para integrar o LA Lakers na abertura de mercado, venceu cinco campeonatos da NBA. Em 2008, foi considerado o jogador mais valioso desta liga e conquistou duas medalhas de ouro pela seleção norte-americana nos Jogos Olímpicos de 2008-Pequim e 2012-Londres.

Durante a sua carreira nos Lakers usou o número 24, mas também o 8. Números que o clube retirou da equipa assim que ele deixou de jogar. Participou numa curta metragem sobre a modalidade Dear Basketball , ganhando um Óscar em 2018.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG