Trabalhadores da FIAT convocam greve por causa de CR7

Patrocinador da Juventus ajudou o campeão da Juventus na transferência que levou o internacional português para Turim, o que caiu mal entre os funcionários da fabricante de automóveis

O sindicato italiano Unione Sindacale di Base comunicou que os trabalhadores da FIAT convocaram uma greve por causa da transferência de Cristiano Ronaldo para a Juventus, devido aos valores envolvidos na operação agilizada pela fabricante de automóveis, patrocinadora da vecchia signora.

"Não é aceitável que os trabalhadores continuem a fazer enormes sacrifícios económicos, enquanto a empresa gasta milhões de euros num jogador. Eles dizem às famílias para apertarem cada vez mais o cinto e depois decidem investir tanto dinheiro num jogador. Acham isso justo? É normal uma pessoa ganhar milhões, enquanto milhares de famílias a meio do mês já quase não têm dinheiro? Somos todos empregados e esta diferença de tratamento não pode continuar", pode ler-se no comunicado emitido pelo sindicato.

"Os trabalhadores da FIAT deram uma fortuna aos patrões nas últimas três gerações, mas foram compensados com uma vida de miséria. A FIAT deveria investir em novos modelos que consigam garantir o futuro de milhares de pessoas, ao invés de enriquecerem apenas uma pessoa. Esse é que deveria ser o objetivo. A empresa deveria colocar os interesses dos seus empregados em primeiro lugar. Se isto não acontece, é porque eles preferem o mundo do futebol e do entretenimento em detrimento do resto. Pelas razões descritas acima, o Sindicato convocou uma greve na fábrica de Melfi entre as 22 horas do dia 15 de julho e as 18 horas do dia 17 de julho", reivindicou o sindicato

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.