Saiba qual é o programa de TV que Ronaldo não vai perder em Itália

Avançado português é fã do 'El Chiringuito de Jugones', programa de desporto que passa na televisão espanhola. E enviou uma carta aos comentadores

Cristiano Ronaldo vai deixar Espanha ao fim de nove anos de Real Madrid e mudar-se para Itália, com destino à Juventus (a apresentação é já na segunda-feira). Mas há hábitos que o avançado português não vai querer perder e um deles está relacionado com um programa de televisão.

O internacional português é fã do 'El Chiringuito de Jugones', programa que passa na Mega TV. E fez mesmo questão de enviar uma carta de despedida aos comentadores, prometendo que apesar de estar em Itália vai continuar a segui-los.

Eis a carta enviada por Cristiano Ronaldo aos apresentadores do conhecido programa de desporto.

"Querido Chiringuito:

Comecei uma nova etapa e quero despedir-me de vocês de uma forma especial porque vocês têm algo de especial. Quero agradecer-vos o apoio que quase todos sempre me deram.

Obrigada aos madridistas do programa porque senti a vossa força em muitas ocasiões e isso não esquecerei.

Ao Roncero, quero agradecer-te o apoio e o carinho incondicional que sempre tive da tua parte.

Ao Edú agradeço por tanto... Por ser o meu escudo, o meu defensor e meu amigo.

Também agradeço a todos os que me criticaram porque com tudo se aprende. Carme, Jota, Quim e Soria, vocês foram uma grande motivação. Sei que faz parte da rivalidade desportiva.

Agradecer a todos os que estiveram no programa o carinho, porque gosto de surpreender os meus fãs, bem como os que nem sempre simpatizaram comigo.

Ao Josep, obrigada pela tua defesa, prometo-te que se chegar ao fim dou-te outra entrevista.

A vida dá-nos lições diárias e eu também aprendo no dia a dia.

Desejo muito êxito ao programa, vou continuar a ver-vos em Itália.

Um beijo de toda a minha família e não se esqueçam de ser felizes.

Um abraço, Cristiano Ronaldo"

Ler mais

Exclusivos

João Almeida Moreira

DN+ Cadê o Dr. Bumbum?

Por misturar na peça Amphitruo deuses, e os seus dramas divinos, e escravos, e as suas terrenas preocupações, o dramaturgo Titus Plautus usou pela primeira vez na história, uns 200 anos antes de Cristo, a expressão "tragicomédia". O Brasil quotidiano é um exemplo vivo do género iniciado por Plautus por juntar o sagrado, a ténue linha entre a vida e a morte, à farsa, na forma das suas personagens reais e fantásticas ao mesmo tempo. Eis um exemplo.