Ronaldo acredita que Neymar pode acabar com reinado de Cristiano e Messi

O antigo futebolista brasileiro considerou esta quarta-feira que o seu compatriota Neymar pode colocar um ponto final no reinado do português e do argentino, caso tenha um bom desempenho no Mundial 2018.

"O Mundial é determinante para atribuição do prémio da FIFA. Em 2002, eu não joguei muito durante a temporada, mas fiz um excelente Mundial e consegui o prémio de melhor jogador FIFA", afirmou Ronaldo, o Fenómeno, numa apresentação do prémio The Best, em Moscovo.

Com o português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi - os dois jogadores que têm conquistado o prémio nos últimos anos - já afastados do Mundial, o Fenómeno elege Neymar como o principal candidato.

"Neymar tem melhorado muito ao longo do Mundial, tem aparecido em momentos decisivos, se o Brasil vencer o Mundial, ele acabará com o reinado de Messi e Ronaldo", disse, reconhecendo que tanto o português como o argentino fizeram uma excelente época.

O antigo internacional alemão Lothar Matthaus, que em 1991 venceu a primeira edição do prémio, considerou que Neymar, que alinha nos franceses do Paris Saint-Germain, só poderá vencer o galardão quando conquistar títulos com a sua seleção.

"É fácil vencer o título em França", disse o antigo futebolista germânico, acrescentando: "Para mim, esta época, Neymar ainda não mostrou que é o melhor".

Matthaus considerou que há outros candidatos ao prémio, como o francês Kylian Mbappé, o inglês Harry Kane e o croata Luka Modric.

Desde 2008 que Cristiano Ronaldo e Lionel Messi monopolizam o prémio de melhor jogador FIFA, que entre 2010 e 2015 foi atribuído em conjunto com a revista France Football.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...