Ronaldo em negociações com a Juventus

Real Madrid já aceitou oferta de 100 milhões de euros pelo passe do melhor do mundo, segundo alguma imprensa espanhola.

Já ninguém parece ter dúvidas da saída de Cristiano Ronaldo do Real Madrid, ao fim de nove temporadas. Segundo alguma imprensa espanhola, o clube merengue aceitou uma oferta da Juventus para a saída do melhor jogador do mundo no valor de 100 milhões de euros.

De acordo com o El Chiringuito, conhecido programa de televisão espanhol, o campeão italiano colocou em cima da mesa uma proposta salarial idêntica à que o clube espanhol lhe ofereceu para renovar (cerca de 30 milhões de euros anuais), o que mostra que o internacional português decidiu mudar de ares, ele que sempre disse que o problema com o Real "não era uma questão de dinheiro", mas de respeito.

Segundo soube o DN as negociações entre Juve e Real Madrid existem, mas o acordo ainda não está fechado. Quanto ao jogador há muito que disse sim aos italianos.

Depois da conquista da Liga dos Campeões, em Kiev, este ano, o português disse que tinha sido "um prazer jogar no Real Madrid", dando claramente a entender que esta seria a sua última época ao serviço dos merengues.

Ronaldo chegou ao Real Madrid na época 2009/10, tendo entretanto conquistado tudo e mais alguma coisa, com destaque para as quatro Champions, uma das quais frente à Juve, que pode muito bem ser o próximo clube a representar.

Uma das coisas que terá pesado na decisão do capitão português foi o carinho dos adeptos da equipa de Turim, ele que foi aplaudido de pé, quando marcou um golo de pontapé bicicleta à Juventus, na Champions, em abril.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.