RD Congo podia ter super equipa nas meias-finais do Mundial 2018

França e Bélgica têm oito jogadores que nasceram naquele país africano que em tempos se chamava Zaire

O Mundial 2018 podia ter a seleção da República Democrática do Congo nas meias-finais. Porquê? A razão é simples, há oito jogadores distribuídos por França e Bélgica são originários naquele país africano, antiga colónia belga, que entre 1971 e 1997 se chamava Zaire.

São eles o guarda-redes Steve Mandanda, habitual suplente da seleção francesa; os defesas Presnel Kimpembe (França), Dedryck Boyata e Vincent Kompany, ambos da Bélgica; os médios Steven N'Zonzi e Blaise Matuidi (ambos de França); e os belgas Romelu Lukaku e Michy Batshuayi.

Destes oito futebolistas, apenas Mandanda nasceu na RD Congo, sendo que os outros são filhos de pais congoleses.

Refira-se que outros dois filhos de congoleses jogaram no Mundial 2018: O médio Denis Zakaria, que representou a Suíça; e o avançado Isaac Thelin, que jogou pela Suécia.

Ler mais

Exclusivos