Os fundamentos do processo que pode expulsar Bruno de Carvalho

Comissão de fiscalização enuncia em comunicado os factos que levaram a novo processo disciplinar.

O órgão de fiscalização do Sporting emitiu nesta quinta-feira um comunicado em que explica a nova suspensão aplicada a Bruno de Carvalho, os fundamentos da nota de culpa emitida contra o antigo presidente leonino e os restantes elementos do anterior conselho diretivo - Carlos Vieira, Rui Caeiro, José Quintela, Luís Roque, Luís Gestas e Alexandre Godinho.

A comissão de fiscalização explica que a nota de culpa baseia-se em participações de sócios e que, atendendo ao "carácter grave e continuado dos factos imputados", entendeu "suspender preventiva e condicionalmente Bruno de Carvalho, Luís Gestas e Alexandre Godinho". Ou seja, mesmo já estando suspensos por outro processo anterior, ainda que "provassem ou revertessem a sua situação naquela sede, estarão suspensos por força deste outro".

O comunicado enumera depois os fundamentos em que se baseia a nota de culpa que, ao que apurou o DN​,​​​​​​ pode vir a resultar na expulsão de Bruno de Carvalho de sócio:

- as ações a propósito da assembleia geral destitutiva de 23 de junho, como "a entrada sem autorização na mesma", a "divulgação" de imagens (que tinha sido proibida) ou a "continuada tentativa de obstaculizar a realização" da AG;

- a recente "entrada em Alvalade com o anúncio de uma decisão judicial que pura e simplesmente não existia";

- a "tentativa, gorada, de bloqueio das contas bancárias" do Sporting, "no que se pode considerar usurpação de funções".

A comissão de fiscalização salienta ainda a existência de outros factos, alguns deles "bizarros", como o escritório de advocacia de Alexandre Godinho funcionar nas instalações do Sporting.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.