Mário Jorge convidado para diretor da Academia de Alcochete

Ex-jogador do Sporting foi desafiado pela SAD liderada por Sousa Cintra a assumir funções de liderança na estrutura da formação leonina, ocupando o lugar de Virgílio Lopes, seu antigo colega em Alvalade

Mário Jorge, futebolista do Sporting nas décadas de 80 e 90 do século passado, foi sondado para diretor da Academia do Sporting, em Alcochete, soube o DN. O ex-jogador leonino está em Cabo Verde, onde tem trabalhado, e aguarda um voo para Portugal para falar com Sousa Cintra sobre as condições e funções concretas a desempenhar em Alcochete.

O convite ao antigo diretor desportivo do Estoril, clube que também representou como jogador, indica que o atual presidente da SAD leonina não quer continuar com Virgílio Lopes, antigo braço direito de Bruno de Carvalho, na Academia.

Formado nas escolas de Alvalade, Mário Jorge realizou um total de 524 jogos de leão ao peito, em todos os escalões, ao longo de 17 anos. Vencedor de dois campeonatos nacionais, o antigo defesa/médio esquerdo pode agora assumir a formação do clube... que o formou.

Ler mais

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.