E vão duas para Fernando Santos. Técnico reforça estatuto de único vencedor

Depois da conquista do Euro2016, o selecionador nacional venceu a Liga das Nações, este domingo, no Porto

Fernando Santos reforçou este domingo o estatuto de único treinador com títulos ao comando da seleção portuguesa de futebol, ao juntar a Liga das Nações, com um triunfo sobre a Holanda (1-0), na final do Dragão, ao Euro2016.

No espaço de três anos, o engenheiro, de 64 anos, conseguiu o que nenhum dos seus antecessores lograra, colocar Portugal no lugar mais alto do pódio de uma competição oficial, transformando o quase em algo palpável, num caneco e agora em dois.

A Liga das Nações não tem o peso, nem pouco mais ou menos, de um campeonato da Europa ou do Mundo, mas é um título de prestígio e Portugal ficará para sempre na história como o vencedor da primeira edição da mais recente criação da UEFA.

E, como atual selecionador, Fernando Santos voltou a fazer história, no que foi o seu 27.º triunfo oficial pela formação das quinas, em 41 jogos, outro registo ímpar, já que o brasileiro Luiz Felipe Scolari ficou-se pelos 25, em 43 encontros.

O ex-treinador de Benfica, FC Porto e Sporting tem, assim, uma percentagem de vitórias a sério superior ao técnico que levou o Brasil ao penta no Mundial de 2002 (65,9% contra 58,1%), mas não é, ainda assim, o líder do ranking luso.

O treinador com melhor percentagem de triunfos em embates oficiais por Portugal é Humberto Coelho, atual vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que ganhou 11 de 15 jogos (73,3%), todos na campanha do Europeu de 2000.

Fernando Santos segue também atrás de Manuel da Luz Afonso (69,2% - nove em 13), que, em 1966, levou Portugal ao terceiro lugar do Mundial, na estreia. Seguem-se, na tabela, António Oliveira (63,0% -- 17 em 27) e Paulo Bento (62,1% -- 18 em 29).

Em termos totais, o atual responsável pela equipa das 'quinas' é o segundo com mais jogos (65), apenas atrás de Scolari (74), e também segue no segundo posto no que respeita ao total de vitórias (39), agora a apenas três das 42 do técnico 'canarinho'.

Ao nível de percentagem de vitórias total, 'manda' Manuel da Luz Afonso, que ganhou 75% dos jogos (15 em 20), com Humberto Coelho em segundo, com 66,7 (16 em 24), e Fernando Santos a fechar o pódio, com 60,0 (39 em 65).

No que respeita a derrotas, a melhor percentagem (com um mínimo de 10 jogos efetuados), pertence ao 'magriço' José Augusto, com apenas 13,3% (duas em 15), seguido, ex-equo, por Manuel da Luz Afonso e Artur Jorge, ambos com 15% (três em 20).

Com o triunfo de hoje face aos holandeses, na final da Liga das Nações, Fernando Santos reforçou o quarto lugar, com 15,4% (10 em 65), à frente de Humberto Coelho, com 16,7% (quatro em 24).

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.