Harry Kane: "Dói, dói muito"

O avançado assume que a seleção inglesa trabalhou muito, mas não chegou para vencer a Croácia.

Kane estava visivelmente triste com a derrota que tirou a Inglaterra da final do Mundial. O ponta de lança lamenta a derrota, mas olha com orgulho para a caminhada da equipa que capitaneou neste Mundial 2018.

"É duro. Trabalhamos tanto e os adeptos foram fantástico. Era um jogo de 50/50, e tenho a certeza que quando olharmos para trás, vamos perceber que haverá coisas que podíamos ter feito melhor. Dói, dói muito. Vai doer-nos durante algum tempo, mas podemos estar de cabeça levantada. Foi uma caminhada fantástica e fomos mais longe do que alguém pensaria. Temos de aprender com isto", revelou após o encontro à ITV.

A Inglaterra perdeu por 2-1 com a Croácia num jogo que só foi decidido no prolongamento.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.