Santos e os "50 jogos nas pernas": "Felizmente temos jogadores muito inteligentes"

O selecionador nacional lamentou o pouco tempo para treinar para o jogo com a Ucrânia e nesse contexto elogiou a capacidade dos atletas para absorver as ideias da equipa

Fernando Santos elogiou esta quinta-feira a capacidade que os jogadores que compõem a seleção nacional para absorverem as suas ideias, uma vez que considera que só assim será possível ultrapassar as limitações que teve ao nível do treino para preparar os jogos com a Ucrânia, esta sexta-feira às 19.45 horas, e com a Sérvia, na segunda-feira, que marcam o arranque do apuramento para o Euro 2020.

"Temos aqui jogadores com 50 jogos nas pernas nesta altura da época e isso limita os treinadores ao nível no treino. Todo o trabalho que fizemos foi praticamente de recuperação, pois na prática apenas treinámos ontem. Por isso, falámos muito para apresentar a estratégia para o jogo. Felizmente temos jogadores muito inteligentes com grande capacidade de absorção daquilo que é pretendido", explicou o selecionador nacional, que considera ucranianos e sérvios como "os principais adversários" na luta pelo apuramento, embora tenha deixado um aviso: "Não podemos esquecer Andorra e Lituânia, porque às vezes são nesses jogos que custam apuramentos."

O treinador nacional considera a Ucrânia e a Sérvia "adversários fortíssimos", mas garantiu que "com o apoio dos portugueses" a seleção vai "dar uma alegria ao país", pois garante que jogadores "estão preparados".

Questionado sobre se este é o melhor grupo de jogadores de sempre na equipa das quinas, Fernando Santos lembrou que "Portugal sempre teve jogadores de enorme qualidade". "Não podemos dizer que é o grupo mais forte de todos, considerado que é exagerado dizer isso. É, de facto, um grupo de enorme qualidade, mas os melhores de todos são aqueles que ganham, por isso os melhores de todos foram os campeões da Europa", sublinhou Fernando Santos.

"Seria uma desilusão se não vencer a Ucrânia"

O facto de a seleção nacional não ter vencido as últimas estreias em fases de qualificação não parece preocupar o selecionador nacional, que prefere ver as coisas pela positiva. "Acabámos em primeiro lugar os últimos dois apuramentos, mas é verdade que não temos ganho o primeiro jogo, mas não vivemos de fantasmas", disse, considerando a Ucrânia "uma equipa tecnicamente muito evoluída, com jogadores muito rápidos e que gostam de ter bola". "É uma equipa que está consolidada nos processos do Shakhtar, que é treinado pelo Paulo Fonseca e é o grande abastecedor da seleção", acrescentou.

O técnico garante que a equipa está "preparada para as dificuldades" que vão surgir na partida desta sexta-feira no Estádio da Luz e deixou uma garantia: "Vamos dar uma excelente resposta e vamos ganhar este jogo." Fernando Santos vai mesmo mais longe ao admitir que "seria uma desilusão se não vencer" a Ucrânia. "Acredito que vamos ganhar. Tenho de me assumir como favorito, mas do outro lado há um candidato a ganhar o jogo, basta ver o que eles dizem. São jogadores que jogam em clubes de nomeada", disse.

Finalmente, questionado sobre se tem tido dores de cabeça para formar o onze que vai entrar em campo para defrontar a Ucrânia, Fernando Santos atirou: "Se eu, quase aos 65 anos, tivesse dores de cabeça ia à farmácia comprar Aspirinas... As dores de cabeça afetam-me o sono e eu gosto muito de dormir."

Ler mais

Exclusivos