Eleições do Sporting: Saiba quem lidera nas redes sociais

Sete das oito candidaturas têm página do Facebook. A exceção é José Maria Ricciardi. Frederico Varandas, João Benedito e Bruno de Carvalho no pódio

Formalizadas as oito candidaturas aos órgãos sociais do Sporting, marcadas para 8 de setembro, e já expirado o prazo para a entrega das listas, a página de Facebook Unir o Sporting, relativa a Frederico Varandas, lidera no número de seguidores: mais de 12 800.

O ex-diretor clínico do clube é o primeiro no barómetros das redes sociais, mas é preciso não esquecer que foi igualmente o primeiro a anunciar a candidatura, a 24 de maio, precisamente um mês antes da assembleia geral de destituição da direção liderada por Bruno de Carvalho. A 26 de junho, lançou a página.

Em segundo lugar, surge Raça e Futuro, do antigo guarda-redes de futsal do clube João Benedito, com pouco mais de 10 800 seguidores na página lançada a 19 de julho. Não muito distante está Leais ao Sporting, do ex-líder leonino Bruno de Carvalho, que amealhou quase 10 300 seguidores desde 8 de julho. Ou seja, Benedito vai batendo a concorrência do ex-dirigente no rácio número de seguidores/tempo de página.

Curiosamente, 8 de julho também foi a data escolhida por Dias Ferreira para lançar a página Somos todos Sporting, que conta com pouco mais de 9100 gostos.

Mais distantes estão as páginas Pedro Madeira Rodrigues, com pouco mais de 5200 seguidores desde... 4 de janeiro do ano passado; Unidos Venceremos, de Fernando Tavares Pereira, lançada a 28 de junho e com quase 2900 gostos; e sobretudo Sporting. Projeto e Futuro, de Rui Jorge Rego, lançada a 3 de agosto e que ainda não atingiu os 500 seguidores.

A exceção Ricciardi

José Maria Ricciardi é o único que fica de fora deste barómetro, pois não ter qualquer página nas redes sociais e, a julgar por declarações proferidas a propósito de contas falsas com o seu nome, aparenta não fazer questão de vir a ter: "Não tenho contas no Twitter, nem no Facebook. Tudo o que esses perfis dizem é absolutamente falso. Qualquer coisa que venha daí não é verdade."

Apesar destes indicadores, é necessário ter em conta que cada pessoa pode seguir várias páginas de candidatos e que cada sócio tem direito a um diferente número de votos, consoante a categoria e longevidade enquanto associado.

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.