Candidatura de Bruno de Carvalho foi rejeitada pela Mesa da AG

Ex-presidente está impedido de ir a votos nas eleições de 8 de setembro. E como o prazo de entrega das listas já expirou, o cabeça de lista não pode ser substituído

Bruno de Carvalho não vai a votos nas eleições do Sporting que se realizam no próximo dia 8 de setembro. A Mesa da Assembleia Geral do clube, presidida por Jaime Marta Soares, recusou esta sexta-feira a candidatura do ex-presidente tendo como base o processo disciplinar que lhe foi instaurado e cuja conclusão ainda não é conhecida.

Nem sequer existe a possibilidade de o cabeça de lista poder ser substituído, já que o prazo das apresentações das listas expirou. Há uma semana, Bruno de Carvalho tinha arranjado uma estratégia para contornar a sua possível inibição, colocando Erik Kurgy de prevenção com cabeça de lista. Mas entretanto viu a sua lista ser recebida pelos serviços do Sporting, depois de uma ordem do tribunal nesse sentido.

Bruno de Carvalho já respondeu através da página da sua candidatura. "Não desmobilizem. A lista Leais ao Sporting vai estar nas eleições do Sporting Clube de Portugal. Nada interessa o que diz ou escreve JMS. Tudo o que vem dele está sempre ferido de ilegalidade ou irregularidade. Vamos manter-nos focados na campanha e na vitória!"

Os candidatos às eleições do Sporting são agora sete, depois da desistência de Carlos Vieira e de a candidatura de Bruno de Carvalho ter sido rejeitada pela Mesa da AG. Os sete candidatos são: Frederico Varandas, João Benedito, Pedro Madeira Rodrigues, José Maria Ricciardi, Dias Ferreira, Rui Jorge Rego e Fernando Tavares Pereira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.