Assalto deixa clube da Póvoa de Lanhoso sem chuteiras, bolas e equipamentos

"Só pode ter sido alguém que conhecia muito bem os cantos à casa", disse um dirigente do Grupo Desportivo Porto d'Ave, clube de futebol do principal escalão da Associação de Futebol de Braga (Pro-Nacional).

As instalações do Grupo Desportivo Porto d'Ave, na Póvoa de Lanhoso, foram assaltadas e durante o furto foram roubadas "praticamente todas as chuteiras" do plantel sénior, além de bolas e equipamentos de treino, disse esta quarta-feira à Lusa um diretor do clube.

Segundo Bruno Vieira, do Departamento de Futebol, só em chuteiras o prejuízo deverá ascender a mais de 10 mil euros. "Só escaparam as chuteiras dos guarda-redes, que estavam guardadas num outro espaço", referiu. Em termos de bolas, foram roubadas cerca de 20, preparando-se o clube para gastar de imediato 1.200 euros para repor o stock.

"Levaram ainda equipamento de treino, como camisolas térmicas, além de um televisor que servia para visionarmos os jogos", acrescentou Bruno Vieira.

O assalto foi registado na noite de segunda para terça-feira, tendo os ladrões entrado por uma janela que dá diretamente para o balneário e a arrecadação do plantel sénior. "Só pode ter sido alguém que conhecia muito bem os cantos à casa", disse ainda aquele dirigente.

O Grupo Desportivo Porto d'Ave milita no principal escalão da Associação de Futebol de Braga (Pro-Nacional), ocupando atualmente o segundo lugar na classificação geral, a dois pontos do primeiro, o CCD Santa Eulália.

No próximo domingo o clube recebe precisamente o Santa Eulália. "Este assalto, além de um grande rombo nas nossas finanças, significa também um forte revés na preparação do jogo de domingo", rematou Bruno Vieira. O caso já foi participado à GNR, que está a investigar.

Exclusivos

Premium

Betinho

"NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus há seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.