"Há camiões a transportar mortos. Voltar a jogar é uma loucura"

Massimo Cellino, presidente do Brescia, de Itália, diz que a imposição da UEFA de ter os campeonatos terminados até 3 de agosto é uma loucura. E ameaça não comparecer aos jogos e perdê-los todos na secretaria.

A UEFA informou na quarta-feira os clubes europeus que os campeonatos têm de estar concluídos até 3 de agosto, uma imposição que não caiu bem bem em todos os dirigentes e que levou inclusivamente o presidente da Brescia a lançar fortes críticas ao organismo que rege o futebol europeu.

"Isto é alguma mentira de 1 de abril? Mas como podemos voltar a jogar esta época, está tudo doido? Em Itália estamos parados, os estádios estão fechados e nenhuma equipa vai regressar como antes. Voltarmos a jogar esta época é uma verdadeira loucura. Então e a nossa saúde, a saúde dos jogadores? Fica tudo em risco", atirou Massimo Cellino em declarações ao jornal Gazzetta dello Sport.

Massimo Cellino deixou mesmo um aviso. "Se nos obrigarem a jogar, estou disposto a que a equipa falte e perca os jogos por 3-0 na secretaria por respeito aos cidadãos de Brescia e dos entes queridos que já não estão cá. É-me indiferente descer, até agora merecíamos e tenho as minhas responsabilidades", ameaçou, considerando que "a UEFA é arrogante e irresponsável" e "só pensa nos interesses económicos". "Quem decide o nosso campeonato somos nós em Itália. Querem que joguemos a cada dois dias? Ou a UEFA vai estender os dias para 72 horas? Se a UEFA quer fazer algo de útil, que traga ventiladores, nós agradecemos", referiu.

O presidente do Brescia prosseguiu nas críticas à UEFA, lembrando o caos em que se encontra a cidade italiana devido à pandemia de covid-19. "Temos camiões que transportam mortos, estamos no centro da pandemia. Os jogadores já estão parados há 45 dias, e seria preciso um mês para estarem em forma. Querem que eles se lesionem?", criticou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG