Dyego Sousa é o 39.º estreante na era Fernando Santos e o sétimo naturalizado a jogar na seleção

O avançado do Sp. Braga, nascido no Brasil, tornou-se esta sexta-feira o 39.º jogador a estrear-se na seleção principal desde que o atual selecionador assumiu o cargo, em 2014.

Dyego Sousa é 39.º jogador a estrear-se na seleção pela mão de Fernando Santos, que assumiu o cargo de selecionador em outubro de 2014. O avançado nascido no Brasil e a jogar em Portugal desde os 18 anos, em 2007, entrou aos 73 minutos, em substituição de André Silva, do jogo com a Ucrânia, no Grupo B de apuramento para o Europeu de 2020, esta sexta-feira no Estádio da Luz.

Apesar do empate, o jogador do Sp. Braga mostrou-se "muito feliz" pela estreia e confessou que há muito que esperava por isso: "É um sonho tornado realidade. Já esperava por isso há muito tempo, mas estou triste pelo resultado. Agora é descansar e continuar a trabalhar porque temos outro jogo muito importante na próxima segunda feira, temos que sair com a vitória. Jogar pela Seleção portuguesa sempre foi o meu objetivo desde que cheguei a Portugal. Desde o Leixões, Portimonense, Tondela, Marítimo e agora Sp. Braga. Sempre quis chegar à Seleção e hoje estou aqui. Quero agradecer o carinho do povo português. Não vai faltar garra e determinação dentro de campo."

Dyego Sousa sucede a Hélder Costa (Wolverhampton), Pedro Mendes (Montpellier) e Cláudio Ramos (Tondela), que cumpriram a primeira internacionalização em 14 de outubro de 2019, num particular realizado na Escócia (3-1). O extremo dos Wolves jogou os 90 minutos e tornou-se o segundo a marcar na estreia na era Fernando Santos, depois de João Cencelo, que faturou face a Gibraltar, o central do Montpellier entrou aos 57 e o guarda-redes do Tondela aos 86.

Em 2018, já se tinham estreado Mário Rui, na Holanda, em 26 de março, Rúben Dias, face à Tunísia (2-2), em 28 de maio, e Gedson Fernandes e Sérgio Oliveira, em 06 de setembro, num particular como a vice-campeã mundial em título Croácia.

Em Portugal, antes de chegar ao Sp. Braga, o jogador nascido em São Luís do Maranhão, no nordeste do Brasil, defendeu ainda as cores de Leixões, Tondela, Portimonense e Marítimo. Quase uma década depois, a seleção portuguesa voltou a contar com um jogador naturalizado, depois de Liedson, Pepe, Deco, Celso e Lúcio Soares, todos nascidos no Brasil, e de David Júlio, oriundo da África do Sul. Dyego é assim o sétimo naturalizado a jogar por Portugal.

Eis a lista completa dos jogadores que se estrearam na seleção sob as ordens de Fernando Santos. Dyego Sousa, Hélder Costa, Pedro Mendes, Cláudio Ramos, Sérgio Oliveira, Gedson Fernandes, Rúben Dias, Mário Rui,Gonçalo Paciência, Ricardo Ferreira, Ronny Lopes, Bruma, Bruno Fernandes, Edgar Ié, Kévin Rodrigues, Marafona, Gelson Martins, André Silva, João Cancelo, Renato Sanches, Gonçalo Guedes, Ruben Neves, Lucas João, Ricardo Pereira, Nélson Semedo, Daniel Carriço, Anthony Lopes, André Pinto, Paulo Oliveira, Bernardo Silva, André André, Ukra, Danilo, José Fonte, Tiago Gomes, Adrien Silva, Raphael Guerreiro, Cedric e João Mário

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.