Equipa feminina do Benfica conquista Taça de Portugal com um recorde nas bancadas

Águias conquistam primeiro troféu na modalidade após goleada por 4-0 ao Valadares na final realizada no Estádio do Jamor, com 12.632 pessoas nas bancadas.

A equipa de futebol feminino do Benfica conquistou este sábado a Taça de Portugal, ao vencer na final, realizada no Estádio Nacional, o Valadares por 4-0. Foi o primeiro título ganho pelas águias, já que esta equipa só foi criada este ano. Esta partida foi presenciada por 12.632 pessoas, recorde num jogo oficial, batendo o jogo decisivo da Taça de 2017 entre o Sporting e o Sp. Braga (12.213).

O jogo chegou ao intervalo sem golos, mas na segunda parte, logo aos 54', a brasileira Darlene colocou o Benfica em vantagem, de grande penalidade. Foi o 102.º de Darlene esta temporada pelo clube da Luz. Yasmim, aos 69', Ana Vitória, aos 72', e Evy aos 86', de penálti, marcaram os restantes golos das águias. A equipa do Valadares jogou os últimos minutos com uma jogadora de campo na baliza, já que a guarda-redes Neide Simões saiu lesionada após um choque com uma adversária.

Com os três golos marcados na final deste sábado, a equipa do Benfica chegou ao impressionante número de 406 golos apontados esta temporada em todas as provas. As águias, recorde-se, estão a apenas a dois pontos de garantir matematicamente a subida à I Divisão, numa prova onde têm dominado por completo e com goleadas históricas, como foi o caso dos 32-0 ao CD Pego. Aliás, esta temporada, o Benfica tem apenas uma derrota - com o Sp. Braga, na Taça de Portugal.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.