Cova da Piedade faltou ao jogo: "Antes perder três pontos do que alguém perder arriscar a vida"

Clube da região de Almada tem 18 infetados com covid-19, 15 jogadores e três funcionários. Liga não adiou jogo com o Estoril desta sexta-feira e eles ameaçam com tribunal.

A polémica está instalada. O Cova da Piedade tem 15 jogadores infetados com covid-19 (mais três funcionários) e falhou o jogo com o Estoril, da oitava jornada da II Liga, marcado para esta sexta-feira, às 13.30. Após 30 minutos de espera, foi possível ouvir o apito do árbitro David Silva a partir do túnel de acesso aos relvados, decidindo pela não realização do encontro. A Liga Portugal disse que o clube não têm justificação válida para falhar o jogo e o diretor geral, Edgar Rodrigues, respondeu assim: "Antes perder três pontos do que alguém perder arriscar a vida."

O plantel almadense está em isolamento devido às infeções pelo novo coronavírus, mas segundo a Liga Portugal não pediu para adiar o jogo. "O pedido de ausência justificada do Cova da Piedade não tem cabimento regulamentar", disse à agência Lusa a diretora de competições da Liga Portugal, Helena Pires.

A instituição que rege os campeonatos confirmou que recebeu informação da Delegada de Saúde de Almada e Seixal, Lina María Hernánez, sobre o isolamento profilático do plantel inteiro, mas isso não é suficiente. "Este não é o procedimento protocolado, e que levou ao não adiamento de outros jogos. Este é um caso diferente, em que a Liga, neste momento, ainda não sabe o que vai acontecer. Sabemos que três horas antes do jogo o Cova da Piedade tinha de entregar os atestados de aptidão médica dos jogadores e não o fez", frisou Helena Pires.

O Cova da Piedade defende-se com o relatório da delegada de saúde local a proibir a deslocação da equipa até ao Estoril, "sob a pena de serem acusados de crime". O clube queixa-se do diretor lembrou os casos de outros jogos, da I Liga e da II Liga, que foram adiados pelo mesmo motivo. Algo que neste caso não se repetiu e o jogo manteve-se para a data prevista: "Como é que vou desobedecer à Direção-Geral da Saúde e como é que vou aparecer no Estoril? Vamos para tribunal até às últimas instâncias porque isto que está a acontecer hoje é passar por cima de todos os valores, não vamos pactuar com isto. Prefiro perder três pontos do que alguém perder a vida", disse Edgar Rodrigues.

A Liga Portugal irá agora comunicar a ausência ao Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, sendo que o número 3 do artigo 16.º do Regulamento de Competições determina que "a falta de comparência não justificada de um clube a jogo oficial de uma competição por pontos determina, nos termos previstos no Regulamento Disciplinar, a atribuição ao clube adversário dos três pontos correspondentes à vitória".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG