Cláusula de confidencialidade faz Mourinho perder dinheiro como comentador

Treinador assinou cláusula de confidencialidade quando deixou o Manchester United que o impede de falar do clube. Televisão qatari convidou-o para comentar jogos, mas reduziu-lhe o cachê devido a este impedimento - ganha 67.500 por jogo.

O acordo de rescisão entre José Mourinho e o Manchester United contempla uma cláusula de confidencialidade, ou seja, o treinador português está impedido de abordar determinados assuntos relacionados com a sua estadia no clube e até responder a certos comentários que foram feitos por alguns jogadores depois da sua saída.

A revelação é feita nesta terça-feira pelo jornal britânico The Times, que assegura que esta cláusula reduziu mesmo o cachê que o treinador português vai receber da cadeia de televisão beIN Sports, do Qatar, para comentar os jogos da Taça Asiática. Isto porque era intenção da televisão aproveitar ter Mourinho como comentador para falar sobre a sua saída do Manchester United...

De acordo com o The Times, José Mourinho teve direito a uma indemnização a rondar os 17 milhões de euros. Mas ficou acautelado pelo clube inglês que caso Mourinho quebrasse a tal cláusula, perderia parte deste montante, já que o Manchester não quer ver certos assuntos tornados públicos.

O jornal britânico garante que o técnico português recebe 67.500 euros por cada jogo que comenta na beIN Sports. Um valor consideravelmente mais baixo do que auferiu, por exemplo, quando comentou o Mundial2018 para um canal de televisão russo. Precisamente porque está preso por esta cláusula de confidencialidade que o impede de falar de assuntos relacionados com o Manchester United.

O The Times garante que assim que souberam que Mourinho tinha feito uma parceria com um canal televisivo, os responsáveis do Manchester United entraram em contacto com o treinador a avisá-lo de que os advogados do clube iriam estar particularmente atentos a tudo o que o treinador comentasse.

José Mourinho foi despedido do Manchester United no dia 18 de dezembro, na sequência dos maus resultados da equipa, que na altura ocupava o sexto lugar do campeonato inglês, com 26 pontos, menos 19 do que o líder Liverpool.