Carlos Sainz vence Dakar pela terceira vez

O espanhol Carlos Sainz (Mini) conquistou esta sexta-feira a terceira vitória no Rali Dakar de todo-o-terreno, aos 57 anos, batendo o catari Nasser Al-Attiyah (Toyota) e o francês Stéphane Peterhansel (Mini), que foi navegado pelo português Paulo Fiúza.

Na 12.ª e última etapa, o piloto madrileno, bicampeão mundial de ralis na década de 1990, foi quinto classificado, a 3.56 minutos de Al-Attiyah, que venceu a etapa, resultado suficiente para garantir a vitória final.

Sainz, que já vencera em 2010 e 2018, terminou os cinco mil quilómetros cronometrados com 42:59.17 horas, vencedor com 6.21 minutos de vantagem sobre Nasser Al-Attiyah e 9.58 sobre Peterhansel e Paulo Fiúza.

Sainz, que venceu quatro das 12 especiais desta 42.ª edição, disputada na Arábia Saudita, conseguiu os seus triunfos com três marcas diferentes (Volkswagen, Peugeot e Mini).

Ricky Brabec vence nas motos e Honda lembra Paulo Gonçalves

O norte-americano Ricky Brabec (Honda) conquistou esta sexta-feira pela primeira vez a vitória nas motos no Rali Dakar de todo-o-terreno, interrompendo um domínio de pilotos da KTM que vinha desde 2001.

Brabec, que venceu duas das 12 etapas da 42.ª edição, que esta sexta-feira terminou em Qiddiya, na Arábia Saudita, foi segundo classificado na especial, a 53 segundos do chileno Jose Ignacio Cornejo (Honda), resultado suficiente para garantir a vitória final.

O piloto da equipa Honda, gerida pelos portugueses Ruben Faria e Hélder Rodrigues, gastou 40:02.36 horas para cumprir os cerca de cinco mil quilómetros cronometrados em 12 etapas, deixando o chileno Pablo Quintanilla (Husqvarna), segundo, a 16.26 minutos de distância.

O australiano Toby Price (KTM) foi o terceiro, a 24.06 minutos do vencedor, garantindo um pódio para a KTM, que não perdia desde a vitória do francês Richard Sainct, com a BMW, em 2000.

Esta é a sexta vitória da Honda na prova, primeira de um norte-americano, e a primeira desde 1989, há 31 anos.

Os franceses Ciryl Neveu (1982, 1986, 1987), Edi Orioli (1988) e Gilles Lalay (1989) foram os anteriores vencedores com a marca da asa dourada.

A Honda esteve afastada da competição 23 anos, regressando em 2013 com pilotos como Paulo Gonçalves e Hélder Rodrigues. Desde esse ano, conseguiu chegar por duas vezes à segunda posição, pelo malogrado Paulo Gonçalves (2015) e o argentino Kevin Benavides (2018).

A edição de 2020 ficou marcada pelo acidente mortal que vitimou Paulo Gonçalves na sétima etapa. O piloto português foi lembrado esta sexta-feira pela Honda, na hora da vitória do seu piloto Ricky Brabec.

"É um misto de emoções. Não é fácil. Ganhámos e ganhámos bem, mas eu perdi um amigo", disse, com a voz embargada, o diretor geral da equipa, o português Ruben Faria, em declarações à página Brasil no Dakar2020. A marca usou um autocolante com a imagem do malogrado piloto de Esposende.

Paulo Gonçalves foi piloto da Honda entre 2014 e 2019, tendo conseguido um segundo lugar na prova em 2015.

Este ano a prova estreia-se na Ásia, sendo totalmente disputada em território saudita.

Últimos 10 vencedores

CARROS

2020 Carlos Sainz, Esp (Mini)

2019 Nasser Al-Attiyah, Qat (Toyota)

2018 Carlos Sainz, Esp (Peugeot)

2017 Stephane Peterhansel, Fra (Peugeot)

2016 Stephane Peterhansel, Fra (Peugeot)

2015 Nasser Al-Attiyah, Qat (Mini)

2014 Nani Roma, Esp (Mini)

2013 Stephane Peterhansel, Fra (Mini)

2012 Stephane Peterhansel, Fra (Mini)

2011 Nasser Al-Attiyah, Qat (Volkswagen)

MOTOS

2020 Ricky Brabec (Honda)

2019 Toby Price, Aus (KTM)

2018 Matthias Walkner, Aut (KTM)

2017 Sam Sunderland, GB (KTM)

2016 Toby Price, Aus (KTM)

2015 Marc Coma, Esp (KTM)

2014 Marc Coma, Esp (KTM)

2013 Cyril Despres, Fra (KTM)

2012 Cyril Despres, Fra (KTM)

2011 Marc Coma, Esp (KTM)

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG