A sociedade do golo Pizzi-Vinícius

Benfica venceu o Marítimo este sábado no Estádio da Luz, por 4-0, em jogo da 12.ª jornada da I Liga. Um golo de Pizzi e três de Vinícius construíram a goleada.

O jogo do Benfica fluiu no novo relvado da Luz e a equipa venceu o Marítimo, por 4-0. Uma vitória por números expressivos que permitiu aos encarnados passar os 100 golos na I Liga, desde que Lage assumiu o comando da equipa a 6 de janeiro, com um triunfo diante do Rio Ave, por 4-2, no Estádio da Luz. São agora 101 golos em 50 jogos. O triunfo permitiu ainda a Lage chegar aos 50 jogos oficiais como treinador principal do Benfica e com um registo impressionante. O técnico encarnado chegou aos 38 triunfos, os mesmos que Rui Vitória (embora com nove derrotas) conseguiu e superando os 37 de Jorge Jesus (embora o agora treinador do Flamengo tenha sofrido menos derrotas: seis contra oito de Lage). É o melhor registo deste século nos primeiros 50 encontros.

O Marítimo entrou destemido e a tentar surpreender o Benfica. Apesar da primeira oportunidade de golo no jogo pertencer a Chiquinho (3 minutos), os insulares chegaram aos cinco minutos de jogo com três remates perigosos à baliza encarnada. Um deles, de Maeda foi travado com mestria pelo atento Vlachodimos - só fez uma defesa no jogo todo.

A partida estava eletrizante e qualquer das equipas podia chegar ao golo, mas foi o Benfica que o conseguiu aos oito minutos. Um bela jogada dos encarnados, com André Almeida a servir Carlos Vinícius, que já na área rodou e serviu Pizzi para o primeiro golo do jogo. Foi o 16.º da época para o extremo do Benfica, que assim melhorou o seu anterior melhor registo numa época que era de 15. E assim em quatro meses Pizzi melhora o seu melhor registo no que a golos diz respeito. O VAR ainda teve dúvidas sobre a posição de Vinícius na hora de receber a bola de André Almeida e a Luz não perdoou. Uma forte assobiadela mostrou a impaciência das bancadas para o video-árbitro... para no fim saberem que o golo foi validade por nove centímetros! É assim a nova era no futebol, com foras de jogo tirados ao centímetro...

O golo encarnado abalou o Marítimo, mas o Benfica não quis saber disso e continuou em cima do adversário até conseguir o segundo. Os protagonistas foram os mesmos, mas desta vez inverteram-se os papéis. Mais uma grande jogada do Benfica, com Pizzi a servir Vinícius, que marcou pelo quarto jogo consecutivo.

Apesar da boa ideia de jogo, da construção ofensiva e de conseguir chegar à baliza de Vlachodimos, as fragilidades defensivas dos insulares eram evidentes e voltaram a ser exploradas minutos depois pela sociedade Pizzi-Vinícius. O extremo voltou a entender-se na perfeição com o brasileiro, que assim bisou na partida. A dupla do ataque benfiquista estava imparável e minutos depois, numa jogada a papel químico, quase chegavam ao quarto golo. Antes do intervalo, o brasileiro ainda meteu a bola na baliza, após uma espetacular desmarcação promovida por um passe de Taarabt, mas o lance foi invalidado pelo VAR.

A expulsão de Gabriel e o hat trick

O segundo tempo parecia trazer um Vinícius mais perdolario e deslumbrado. O avançado teve dois lances na área em que se atrapalha e decide mal, mas rapidamente se redimiu. Ao minuto 55, Amir defendeu remate de Chiquinho para a frente e o brasileiro aproveitou para fazer o terceiro golo da conta pessoal. Foi o primeiro hat trick do camisola 9 ao serviço do Benfica.

Depois Gabriel foi expulso e deixou a equipa a jogar com dez durante meia hora. Isso refletiu-se nas ligações defesa-ataque. O jogo do Benfica passou a ser mais desligado e sobressaiu Taarabt, que encheu o campo e puxou a equipa para o ataque, que foi menos eficaz no segundo tempo. A jogar com menos um e a vencer por quatro golo de diferença, Bruno Lage tirou o autor do hat trick para receber os aplausos e dar lugar a DRT no ataque - o espanhol voltou acabar o jogo sem golo, mas recebeu o carinho das bancadas onde estavam quase 53 mil pessoas.

Depois ainda entrou Jota para o lugar de Cervi. O jogo acabou logo depois do avançado tentar o quinto golo, mas Amir negou-lhe essa felicidade.

Para a história fica a nona vitória seguida do Benfica no campeonato.

Os encarnados continuam a liderar o campeonato com 33 pontos, mais cinco do que o FC Porto, que na segunda-feira recebe o Paços de Ferreira, enquanto o Marítimo, que estreou o treinador José Gomes, é 14.º classificado, com 11.

Veja os golos

FIGURA
Pizzi encheu o campo. Sempre a tentar desquilibrar com os seu movimentos de rotura, o extremo abriu a contagem do marcados aos 8 minutos e depois ajudou a construir a goleada, servindo Vinícius para o bis do brasileiro (terminou o jogo com um hat trick). Tem agora seis assistência para golo na I Liga e chegou aos 16 golos na época (15 no Benfica e um na seleção) e superou o seu melhor registo numa época (15).

FICHA DE JOGO

Jogo realizado no Estádio da Luz, em Lisboa.

Benfica - Marítimo, 4-0

Marcadores: 1-0, Pizzi, 8 minutos; 2-0, Carlos Vinícius, 17'; 3-0, Carlos Vinicius, 31'; 4-0, Carlos Vinicius, 55'

Equipas:

Benfica: Vlachodimos, André Almeida (Tomás Tavares, 46), Rúben Dias, Ferro, Grimaldo, Gabriel, Taarabt, Pizzi, Cervi (Jota, 80), Chiquinho e Carlos Vinicius (Raul de Tomás, 69).

Treinador: Bruno Lage.

Marítimo: Abedzadeh, Nanu, René Santos, Grolli, Rúben Ferreira, Vukovic (Correa, 74), Pelágio (Bambock, 76), Edgar Costa, Marcelinho (Erivaldo, 68), Getterson e Daizen.

Treinador: José Gomes.

Árbitro: Fábio Veríssimo (AF Leiria).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Gabriel (27 e 60), Ferro (28), René Santos (29) e Edgar Costa (57). Cartão vermelho por acumulação para Gabriel (60).

Assistência: 52.772 espetadores

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG