Benfica já encaixou mais de 129,5 milhões de euros só com excedentários

Os encarnados recebem um total 22,2 milhões por Luka Jovic e ainda podem encaixar mais 20 milhões com Carrillo. Raúl Jiménez tornou-se o jogador que mais dinheiro deu aos cofres da SAD benfiquista. (Artigo atualizado)

A SAD do Benfica está a ter uma época muito proveitosa no que diz respeito à receita extraordinária obtida com a transação de jogadores, tendo arrecadado até ao momento 129,53 milhões de euros.

Esta terça-feira, os encarnados ficaram a saber que irá ver entrar nos cofres mais 16,2 milhões de euros relativos aos 30% da mais-valia que detinha numa transferência de Luka Jovic. Pois bem, o jogador foi vendido pelo Eintracht Frankfurt ao Real Madrid por 60 milhões de euros, mas a mais-valia do clube alemão neste negócio é de 54 milhões de euros, pelo que o Benfica tem direito aos tais 16,2 milhões, que a juntar aos seis milhões pagos pelo clube alemão pelo avançado sérvio, perfaz uma verba total de 22,2 milhões de euros.

E o curioso é que este importante encaixe financeiro superior a 125 milhões de euros foi realizado apenas com jogadores considerados excedentários na Luz. No início de abril, Raúl Jiménez tornou-se até o futebolista que gerou mais dinheiro na história dos encarnados, quando o Wolverhampton pagou 38 milhões pelo mexicano, verba à qual se acrescentou a taxa de empréstimo de três milhões de euros pagos em julho, totalizando um total de 41 milhões de euros. Assim, Raúl Jiménez superou em um milhão as vendas de Ederson Moraes e Axel Witsel.

A venda de Anderson Talisca ao Guangzhou Evergrande representou a segunda maior transferência dos encarnados nesta temporada, pois em julho recebeu 5,8 milhões de euros pelo empréstimo, tendo em dezembro os chineses exercido o direito de opção no valor de 19,2 milhões de euros, totalizando um encaixe de 25 milhões.

A terceira maior venda foi a do jovem João Carvalho ao Nottingham Forest por 15 milhões de euros, que representou a contratação mais cara de sempre do clube que milita no segundo escalão do futebol inglês.

Além destes, o Benfica transferiu ainda outros cinco jogadores. O chileno Nicolás Castillo foi vendido, em janeiro, por 7,13 milhões de euros ao América, do México; André Horta mudou-se para o Los Angeles FC por 5,7 milhões; os italianos da Atalanta pagaram cinco milhões de euros por Bryan Cristante, que depois se mudou para a AS Roma; a saída de João Amaral para os polacos do Lech Poznam rendeu 1,5 milhões de euros; e Salvador Agra foi para o Legia Varsóvia por 500 mil euros.

Nos últimos dois meses, o Benfica libertou-se de mais dois jogadores que nunca jogaram pela equipa principal. O médio sueco Erdal Rakip regressou ao Malmö a troco de 500 mil euros, enquanto o médio polaco Pawel Dawidowicz tornou-se em definitivo jogador dos italianos do Hellas Verona, que acionaram a opção de compra que, segundo o site transfermarkt.com, se cifrou nos dois milhões de euros.

Andre Carrillo pode gerar mais milhões

E há ainda a ter em conta que os sauditas do Al Hilal pagaram quatro milhões de euros pelo empréstimo de Andre Carrillo. Uma verba que poderá crescer nos próximos meses.

É que o antigo clube de Jorge Jesus tem o direito de opção de compra sobre Carrillo no valor de 20 milhões de euros, que terá de exercer até 30 de junho. Além do Al Hilal, o rival Al Nassr, treinado por Rui Vitória, também já fez saber do interesse do internacional peruano.

Ou seja, Carrillo poderá fazer aumentar o encaixe financeiro da SAD encarnada para qualquer coisa como 149,53 milhões de euros, no caso de a transferência se consumar pelos 20 milhões de euros.

NOTA: Artigo originalmente publicado no dia 4 de abril e atualizado esta terça-feira após a transferência de Luka Jovic

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG